O bispo ortodoxo Ambrósio de Calávrita, afirmou numa publicação no seu blog que a causa dos trágicos de incêndios é o “primeiro-ministro ateu”. O religioso afirmou ainda que “os ateístas do Syriza são a causa do desastre” porque “o seu ateísmo chama a fúria divina”. Nas redes sociais outros responsáveis da igreja ortodoxa e criticaram as declarações, como revela o jornal Ekathimerini. O arcebispo de Atenas reiterou que Ambrósio estava a “expressar a sua opinião pessoal”.

Incêndios na Grécia. O que correu mal

No passado o clérigo já tinha feito comentários controversos, ao afirmar que “os filhos [dos gregos] vão ser escravos dos muçulmanos”, devido à globalização ou que se tivesse autorização para andar com uma arma “resolvia o problema” dos homossexuais, a quem chamou de “abominações da natureza”. Estas declarações valeram ao bispo acusações de discurso de ódio.

Os incêndios na Grécia destruíram mais de 1500 casas e fizeram arder cerca de 2100 hectares de florestas. Centenas de pessoas ficaram feridas e as autoridades ainda procuram mais vítimas e desaparecidos.

81 mortos e 187 feridos. Mais de mil casas ainda não foram verificadas e o incêndio já foi extinto