O Presidente da República espera que fique esclarecida até ao fim do ano a situação sobre as alegadas fraudes na reconstrução de casas afetadas pelo incêndio de Pedrógão Grande.

É bom estar uma investigação criminal em curso, se necessário a Inspeção Geral das Finanças, uma vez que lhe pertence também o acompanhamento do fundo Revita e, sobretudo, que não se demore muito tempo”, afirmou esta segunda-feira Marcelo Rebelo de Sousa, que falava aos jornalistas antes de dar um mergulho na praia fluvial da Louçainha, em Penela, concelho do distrito de Coimbra afetado pelo grande incêndio de Pedrógão Grande de 2017.

O Presidente da República frisou que as alegadas irregularidades já foram faladas em julho (devido a uma reportagem da revista Visão) e foram agora novamente abordadas (por uma reportagem da TVI), sendo que espera que “se entre no próximo ano com isto esclarecido”.