Acanthamoeba keratitis. O nome pode parecer um palavrão, mas é como se chama a infeção na córnea causada por lentes de contacto descoberta por investigadores da  University College London. O facto de ser uma infeção rara e ter triplicado, desde 2011, o número de caso no Reino Unido, foi a causa para estudo afirmar que é um novo surto, avança a CNN.

“Claramente havia um problema, a Acanthamoeba keratitis é uma das piores infeções oculares”, afirmou John Hard, o oftamologista que liderou a investigação. Segundo o estudo, dois em cada 100 mil pessoas que utilizam lentes de contactos no Reino Unido, têm esta infeção. Normalmente o número de infetados situa-se entre o um e dois casos em cada milhão e, destes, 85% são em utilizadores de lentes e contacto. No hospital de Moorfields, desde 2011, os casos passaram de uma média desde 18,5 casos em 2011 para 50,3 em 2016.

Segundo os investigadores, esta infeção previne-se facilmente e estes novos resultados aplicam-se em todo o Reino Unido. Além de condicionar a visão até 75%, os médicos explicam que, por vezes, são precisos transplantes de córnea para curar a infeção.

Os casos parecem ser causados pela má higiene na utilização de lentes de contacto, principalmente com a utilização de água corrente para as limpar. Como explica o estudo, os microorganismos que causam a doença crescem mais facilmente nas lentes através da precária manutenção com os desinfetantes recomendados pelos oftalmologistas. O problema, afirmam os investigadores, é que esta bactéria é cada vez mais resistentes a estes produtos, sendo preciso mais medidas para prevenir a infeção porque as atuais “não são boas o suficiente”.