A Associação Portuguesa de Seguradores anunciou que foram participados, até ao momento, cerca de 20 mil sinistros em consequência do furacão Leslie — que atingiu Portugal na noite de 13 de outubro e foi considerada a maior tempestade desde 1842 –, com danos superiores a 45 milhões de euros.

Através de um inquérito promovido junto das empresas de seguros associadas, a maior parte dos prejuízos referem-se a seguros de habitações (19 milhões de euros) e seguros de atividades comerciais e industriais (20 milhões de euros). Nas viaturas com cobertura de danos próprios foram mais de 1000 que sofreram estragos causados pela tempestade.

Atendendo ao elevado número de incidências, os trabalhos de peritagem prosseguem no terreno, admitindo-se que estes dados venham a subir na próxima atualização de informação”, disse a Associação Portuguesa de Seguradores em comunicado.

O furacão Leslie assolou especialmente alguns concelhos dos distritos de Coimbra, Leiria e grande parte da região Centro do país, levando a que mais de 300 mil pessoas ficassem sem eletricidade. A tempestade entrou em Portugal continental pela zona da Figueira da Foz, após um desvio inesperado em direção ao norte do distrito de Lisboa.