O investimento anual em Portugal deverá aumentar 2 mil milhões de euros para tornar o país neutro nas emissões de dióxido de carbono até 2050, afirmou esta terça-feira o ministro do Ambiente, que considera o número exequível e possível.

Em declarações aos jornalistas, à margem da apresentação do Roteiro para a Neutralidade Carbónica, João Pedro Matos Fernandes indicou que o nível anual de investimento feito em Portugal atinge “30 mil milhões de euros”, valor a que deverá acrescer 2 mil milhões de euros por ano de investimento, a maioria privado.

Roteiro elege a próxima década como decisiva para neutralidade carbónica em Portugal

O maior investimento deverá ser no setor dos transportes e na passagem de veículos a combustão para veículos elétricos. Progressivamente, os veículos elétricos deverão ser mais baratos, ao ponto de não compensar a ninguém comprar carros a gasóleo ou gasolina, apontou.

A meta do Roteiro é fazer com que Portugal esteja, em 2050, em condições de emitir anualmente 10 milhões de toneladas de dióxido de carbono, mas que as suas florestas e solos sejam capazes de compensar essas emissões, ou seja, atingir a neutralidade carbónica.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

[frames-chart src=”https://s.frames.news/cards/emissoes-de-co2/?locale=pt-PT&static” width=”300px” id=”251″ slug=”emissoes-de-co2″ thumbnail-url=”https://s.frames.news/cards/emissoes-de-co2/thumbnail?version=1528810635200&locale=pt-PT&publisher=observador.pt” mce-placeholder=”1″]