O tiroteio desta terça-feira em Estrasburgo, França, fez três mortos, deixou uma quarta pessoa em morte cerebral e outras 12 pessoas feridas, cinco em estado grave e oito com ferimentos ligeiros. As vítimas do ataque no mercado de Natal, avança o Le Figaro, têm entre 20 e 65 anos e os mais variados perfis. Não há nenhuma criança entre as pessoas afetadas.

Uma das vítimas mortais era um ex-funcionário do banco Crédit Agricole, em Estrasburgo, nascido em 1957. Na noite do atentado, o homem estava com a mulher e os filhos num restaurante na Rue du Saumom. Segundo o relato de um dos empregados, o homem pagou a conta e a mulher e os filhos foram à casa de banho. A vítima acabaria por sair do restaurante e foi já na rua que foi alvejada. Morreu 15 minutos depois de ter sido ferido e antes de as ambulâncias chegarem.

A segunda pessoa a perder a vida foi um turista tailandês de 45 anos, baleado a caminho do mercado de Natal na companhia da mulher que também ficou ferida no ataque. O homem que a BBC diz ser Anupong Suebsamarn morreu na sequência de um disparo na cabeça. O casal chegara à cidade no dia anterior. A mesquita de Estrasburgo publicou uma nota de pesar na respetiva conta de Facebook, confirmando a morte de um dos seus membros. O jornal Khao Sod, citado pela France 24, diz que Anupong era dono de uma fábrica de noodles em Chachoengsao, província tailandesa a leste de Banguecoque. O mesmo jornal dá conta que o casal tinha originalmente planeado visitar Paris, mas adiou a estadia na capital francesa por causa dos protestos dos coletes amarelos.

À Allah nous appartenons et à lui nous retournons…Nous apprenons que notre frère Kamal vient de décéder des suites…

Posted by Grande Mosquée Eyyûb Sultan de Strasbourg on Wednesday, December 12, 2018

Esta quinta-feira foi declarada uma terceira morte pelas autoridades, da qual ainda não se conhece a identidade.

Há uma quarta vítima em morte cerebral na sequência do ataque. Escreve a France24 que o homem de 40 anos seria o dono de uma oficina local, sendo originalmente do Afeganistão. Terá sido atingido na cabeça.

Entre os feridos está um jornalista italiano de 28 anos que estava em Estrasburgo em trabalho, a cobrir a assembleia plenária do Parlamento Europeu para a Europhonica, uma rede de rádios comunitárias. O jornalista, que a agência de notícias ANSA diz tratar-se de Antonio Megalizzi, está em estado grave, tal como confirma a Europhonicaatravés do Facebook.

#IT Riguardo allo staff italiano di Europhonica a Strasburgo: dobbiamo confermare che la situazione è grave. Il collega…

Posted by Europhonica on Wednesday, December 12, 2018

Dois músicos foram também baleados no café Les Savons d’Hélène — um percussionista foi atingido no pescoço e ainda estava em coma na noite de quarta-feira, enquanto o guitarrista já estará consciente. Ambos fazem parte de um coletivo de arte e espaço de performance chamado Mimir. Um terceiro homem, também ele associado a este coletivo, encontra-se em estado grave com um ferimento na cabeça. O Le Parisien diz ainda que um pintor de casas, pai de duas crianças, também foi gravemente atingido. A proprietária da fábrica de laticínios Lorro, Christelle Lorho, também confirmou, via Facebook, que a sua filha foi baleada no braço.

Aujourd’hui notre fille Jeanne a été victime d’un lâche , elle a reçu une balle dans Le Bras. Elle été prise en charge…

Posted by Christelle Lorho on Tuesday, December 11, 2018

Uma jovem de 18 anos terá sido operada na quarta-feira de manhã e estará agora fora de perigo. Outra pessoa terá ficado gravemente ferida no abdómen e já foi submetida a duas cirurgias de emergência desde terça-feira à noite, escreve o France3.

Os feridos foram encaminhados para vários hospitais da cidade, em particular parta o Strasbourg-Hautepierre, mas também para o Nouvel Hôpital Civil (NHC) e para as urgências da clínica Sainte-Anne.

Cherif Chekatt é o suspeito do tiroteio que causou 3 mortos e tantos outros feridos num ataque em Estrasburgo na noite de terça-feira. Natural de cidade francesa, era conhecido da polícia e estava sinalizado como perigoso.

[Veja no vídeo como Estrasburgo congelou com uma mega-operação]