A primeira divulgação foi feita pelo The Times. No domingo passado, 23 de dezembro, o jornal britânico divulgou os nomes e fotografias de oito jornalistas que trabalham para a agência de notícias estatal russa Sputnik no Reino Unido, a partir dos seus escritórios em Edimburgo, associando-os a estratégias de desinformação e promoção do país em solo britânico. A reação foi de indignação: num artigo publicado pela RT (antiga Russia Today), outra cadeia estatal do país, os repórteres visados afirmaram-se chocados, falando de um “sentimento anti-russo que prevalece nos jornais do Reino Unido” e de uma “agenda anti-Rússia perpetuada pelo governo britânico”. A RT disse mesmo que o artigo colocava os jornalistas “em perigo”. Agora, começou a circular na internet uma lista com nomes e fotografias de 44 jornalistas que trabalham para a BBC na Rússia.

Um dia a ver o canal de propaganda do Kremlin. Como é o mundo na televisão de Putin?

A lista de jornalistas que trabalham para a BBC em solo russo terá sido publicada inicialmente num grupo formado na rede social russa VKontakte, cujo nome em português significa algo como “Para a mãe Rússia”. Neste grupo, alguns utilizadores russos terão atacado o primeiro artigo do The Times, sugerindo tratar-se de uma resposta à divulgação da lista de jornalistas da Sputnik no Reino Unido. Mais tarde, a lista com detalhes sobre repórteres da BBC terá sido atualizada e partilhada com fotografias (retiradas das redes sociais e de outras fontes públicas) num site de extrema-direita que veicula notícias sobre a Rússia, segundo o The Guardian. Os dados dos jornalistas da BBC propagaram-se também na plataforma Pikabu, uma espécie de Reddit russo.

Um porta-voz da BBC, ouvido pelo The Guardian, afirmou: “A BBC tem regras de conduta editoriais rigorosas e não publicou pormenores sobre jornalistas de outras organizações mediáticas por não haver motivos ou justificações editoriais para o fazer. Estamos desapontados pela publicação injustificada de detalhes [pessoais] relativos à nossa equipa em Moscovo”.

A autoria da divulgação da lista com nome e fotografias dos jornalistas da BBC (e antecedente pesquisa) é ainda desconhecida, mas a informação “parece ter vindo de documentação oficial”, refere o The Guardian, acrescentando que “a lista inclui apenas jornalistas da BBC credenciados pelo governo russo”, estando os repórteres “identificados pelos seus nomes legais, o que em alguns casos diverge dos seus nomes profissionais, isto é, aqueles com que assinam os textos publicados na BBC. A maioria dos jornalistas da BBC em solo russo tem cidadania russa, tendo sido contratada localmente para trabalhar para a cadeia britânica.

A publicação da lista de jornalistas da BBC na Rússia acontece num momento de tensão entre os media russos e britânicos, devido à censura da estação estatal russa RT em solo britânico, pelo regulador do Reino Unido — por alegadas falhas no cumprimento de critérios de imparcialidade e rigor informativo — e pela abertura de uma investigação russa às operações da BBC no país de Putin. Esta investigação vai averiguar aquilo que um porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, considerou ser uma cobertura “enviesada” e “injusta” de acontecimentos ocorridos na Rússia e na Síria.