O documentário Leaving Neverland, que revela os alegados abusos sexuais de Michael Jackson, divulgou também a coleção de pornografia do cantor norte-americano. Fotografias, vídeos e livros com imagens eróticas e sadomasoquistas faziam parte do conjunto que Jackson guardava no ‘rancho’ de Neverland.

“Se alguém descobrisse, íamos para a prisão”. Estas são as primeiras imagens do documentário sobre os alegados abusos de Michael Jackson

Cenas de escravidão, vídeos de transexuais e fotografias eróticas e sadomaquistas entre homens e jovens são alguns dos materiais encontrados na casa icónica de Mickael Jackson e revelados agora no documentário que expôs também os alegados abusos sexuais do cantor. Entre a coleção encontrada está ainda uma imagem de JonBenét Ramsey, a rainha da beleza infantil dos anos 90 que foi assassinada.

A maioria das imagens tinham sido encontradas numa busca ao ‘rancho’ em 2003 e constavam no relatório policial. A policia descobriu, em 2003 — seis anos antes da morte do cantor –, pelo menos sete coleções de imagens com adolescentes nus, que se suspeitava ter como objetivo preparar as crianças para os abusos sexuais do cantor.

Estas buscas feitas em 2003 terminaram com a absolvição de Mickael Jackson dois anos depois. A acusação partiu de Gavin Arvizo, que tinha sobrevivido a um cancro aos 13 anos e se tinha aproximado do rei da pop.

O documentário Leaving Neverland foi lançado a 4 de março na plataforma de streaming HBO e está a provocar várias ondas de choque, com muitas rádios a retirarem a música de Mickael Jackson das playlists.

Vai ser removido o episódio dos ”The Simpsons” em que entra Michael Jackson