Cristiano Ronaldo

Espuma no cabelo, champanhe e o hino na ponta da língua: a festa do título de Ronaldo

105

Ronaldo foi um dos mais animados na festa da Juventus após conquistar o primeiro Campeonato em Itália e, entre espuma no cabelo e banho de champanhe, cantou o hino do clube onde ficará "a 1.000%".

Ronaldo conquistou o primeiro Campeonato em Itália, depois de ter ganho três em Inglaterra (United) e dois em Espanha (Real)

AFP/Getty Images

O dia já tinha começado bem para a família: ao serviço da equipa Sub-9 da Juventus, Cristianinho, o filho mais velho de Cristiano Ronaldo, conquistou o Torneio Marítimo Centenário após vencer na final o Atl. Madrid por 3-0, juntando ainda ao troféu coletivo o prémio de melhor marcador da competição com um total de 25 golos, mais do dobro do segundo classificado. E por si só trazia boas recordações – foi a 20 de abril de 2011 que o português marcou um dos golos mais emblemáticos pelo Real Madrid, na final da Taça de Espanha frente ao Barcelona, com um cabeceamento no prolongamento que decidiu o encontro e a primeira vitória pelos merengues depois de se ter tornado a transferência mais cara de sempre em 2009. Ao final da tarde, já noite em Turim, haveria mais razões para festejar: à terceira tentativa, a Vecchia Signora assegurou o oitavo título consecutivo.

Em termos coletivos, a Juve igualou o triunfo a mais jornadas do final (cinco) e estabeleceu ainda um novo recorde, tornando-se o conjunto com mais vitórias consecutivas nas cinco maiores ligas, superando os números que o Lyon conseguiu em França – e com isso está apenas a um triunfo de igualar os números de AC Milan e Inter juntos. No plano individual, Ronaldo tornou-se o primeiro jogador de sempre a ser campeão em Inglaterra, em Espanha e em Itália, algo apenas visto com um treinador e também ele português: José Mourinho (com Chelsea, Inter e Real Madrid, respetivamente). E foi um dos mais ativos na festa após o 2-1 frente à Fiorentina, que permitiu “esquecer” a derrota caseira a meio da semana para a Champions.

Pouco depois do apito final, e quando se preparava para integrar o grupo de jogadores em festa perto de um dos topos do Allianz Stadium, Ronaldo já tinha sido brindado com espuma no cabelo, numa “praga” que começou no treinador Massimilano Allegri e alastrou-se a vários atletas. E ainda no relvado, durante a volta de honra, mostrou que já conhece o hino dos bianconeri, sendo apanhado pelas câmaras a cantar a parte final do mesmo, o que foi destacado pelas redes sociais do clube.

“Estou contente. O meu objetivo era ganhar a Liga. Este ano, ganhámos dois troféus importantes, a Liga e a Supertaça, e é um orgulho ganhar o título em três países diferentes. Parece fácil pela diferença de pontos para o segundo classificado mas não é. Foi um ano de trabalho, dedicação e muito esforço. Esta equipa merece. Champions? Claro que estou triste por não termos passado à fase seguinte mas o futebol é isto, não se pode ganhar sempre. Quem cai deve ter a humildade de se saber levantar”, destacaria mais tarde o avançado à SportTV , já depois de ter garantido à DAZN que iria ficar na próxima época “a 1.000%”.

A volta prosseguiu, na zona da bancada central não faltou o aceno especial à namorada Georgina Rodríguez e aos amigos que marcaram presença no estádio e, antes de descer aos balneários, não faltou o habitual banho de champanhe por um dos jogadores com quem mantém uma relação mais próxima em Turim, Bernardeschi. Já no túnel, Ronaldo cumprimentou e esteve ainda à conversa de forma breve com Carlos Freitas, diretor desportivo da Fiorentina. Mais tarde, o próprio jogador partilhou um vídeo da festa dos jogadores da Juventus no balneário após a conquista de mais um Campeonato, além de um vídeo sobre “a história de um grande amor” que resume os melhores momentos desde que chegou aos bianconeri.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)