Peugeot

Aponta ao Zoe. Peugeot e-208 já tem preços

141

A Peugeot anunciou os preços para o seu primeiro utilitário a bateria. No mercado francês, o e-208 é proposto por valores equivalentes aos do eléctrico mais vendido em França, o Renault Zoe.

O novo Peugeot e-208 pode agora ser encomendado nos stands da marca em França, apresentando-se aos clientes com quatro níveis de equipamento e preços desde 32.100€, segundo o L’Argus. Ou seja, nem mais nem menos do que o valor que também a Renault pede pela versão de entrada do Zoe, com aquisição das baterias (City R90 Achat Intégral 2019).

Com este posicionamento, a Peugeot aponta claramente ao utilitário 100% eléctrico que mais vende na Europa e em França, país onde o Zoe se orgulha de possuir uma taxa de satisfação dos clientes de 90% – a melhor em toda a gama da marca do losango. Para já, esta estratégia coloca o Peugeot numa posição de vantagem face ao Renault, oferecendo mais por igual valor. Por enquanto.

ACTIVE ALLURE GT GT LINE
e-208 32.100 € 33.300 € 35.600 € 37.150 €

No mercado desde 2012, o Zoe está prestes a apresentar a sua segunda geração, tudo indicando que o fará com ganhos em matéria de autonomia, sem que o preço seja agravado. Mas, no imediato, o eléctrico da Renault perde para o rival do leão. Além de usufruir do factor “novidade” – a segunda geração do 208 foi apresentada em Fevereiro, na última edição do Salão de Genebra –, a versão 100% eléctrica do compacto do segmento B da Peugeot conta com um motor de 136 cv e 260 Nm, alimentado por um pack de baterias de 50 kWh, com uma garantia de oito anos ou 160.000 km. Enquanto isso, o Zoe R90 debita 92 cv e 225 Nm, sendo alimentado por um pack de acumuladores de 41 kWh. Além de menos potente, perde também na autonomia, pois se o e-208 pode percorrer até 340 km com uma carga completa, o Zoe actual não vai além dos 300 km, sempre em WLTP. Depois, o Peugeot aceita carga rápida, o que significa que num posto a 100 kW, meia hora bastará para efectuar 80% do recarregamento. Já as recargas do rival, por standard, limitam-se a 22 kW. Isto fica-se a dever ao facto da Renault ter optimizado o Zoe para recargas ligadas à ficha lá de casa (AC a 220 V e 10A ou 16A), apesar de existir uma versão do Zoe, com o motor Q90, que permite carga rápida a 43 kW.

Em termos de performance, o e-208 reclama 150 km/h de velocidade máxima, enquanto o Zoe não excede os 135 km/h. Curiosamente, apesar de se tratar de uma proposta menos recente, a Renault consegue que o seu utilitário seja mais eficiente que o novo e-208, com o Zoe a registar um consumo médio de 13,3 kWh/100 km contra os 14,7 do Peugeot, isto tendo em conta a capacidade anunciada para a bateria e a respectiva autonomia.

Resta ver como a Renault vai responder à concorrência. Tanto mais que os preços do Opel Corsa-e, tecnicamente igual ao e-208, são já conhecidos na Alemanha. Nesse mercado, que em termos de impostos pouco diverge do francês, o eléctrico alemão é comercializado por valores a partir de 29.900€. Porém, as entregas arrancam apenas em Janeiro de 2020 – altura em que a Renault também já deve ter na rua a segunda geração do Zoe.

Comparador de carros novos

Compare até quatro, de entre todos os carros disponíveis no mercado, lado a lado.

Comparador de carros novosExperimentar agora

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: scarvalho@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)