Rádio Observador

Alojamento Local

GuestReady. Investimento de 5 milhões de euros para startup que gere alojamento local

Com esta ronda de investimento, a startup de alojamento local que está presente em Lisboa e Porto elevou para 10 milhões o investimento arrecadado desde o seu lançamento, no verão de 2016.

Com sede na Suíça, a GuestReady está presente em Portugal desde novembro do ano passado

A GuestReady, uma startup internacional de gestão de unidades de alojamento local (AL) em plataformas online, anunciou esta terça-feira a conclusão de uma ronda de financiamento de série A no valor de seis milhões de dólares (cerca de 5,35 milhões de euros) para consolidar a empresa no mercado, desenvolver produtos e potenciar o crescimento do serviço em toda a Europa e Ásia.

A empresa anunciou em comunicado que a ronda de investimento foi coliderada pelas sociedades de capital de risco Impulse VC e pela VentureSouq e elevou para 10 milhões de dólares os fundos arrecadados pela empresa desde o ançamento, no verão de 2016. A ronda acontece dois meses depois de ser anunciada a compra da BnbLord, a maior empresa de administração de unidades de AL em França.

A empresa faz a gestão de serviços dedicados sobretudo aos proprietários, prometendo ajudá-los com a logística dos imóveis, na colocação do anúncio em várias plataformas, no contacto personalizado com o cliente, entre outros serviços. Desde o início deste ano, a startup oferece também serviços business-to-business (de empresa para empresa) para promotores e agentes imobiliários.

Como parte desta ronda de financiamento, acrescenta a startup, alguns investidores como a Boost Heroes, o Aria Group e a 808 Tech Ventures aumentaram a sua posição na GuestReady. “Os serviços alavancados pela tecnológica vocacionados para o setor imobiliário são uma grande tendência atualmente. A GuestReady está pronta para agitar este mercado como uma das empresas com maior crescimento no sector da gestão de alugueres de curta duração. Estou ansioso para apoiar a GuestReady na sua missão de impulsionar todo o potencial do mercado imobiliário residencial”, referiu Conny Boersch, um dos novos investidores com esta nova ronda, citado em comunicado.

Vanessa Vizinha, responsável pelo mercado da GuestReady em Portugal, acrescentou que o território português “é um dos mercados de crescimento mais rápido da GuestReady”, sublinhando que o novo financiamento servirá também para “explorar as oportunidades de investimento local e novas parcerias”. Atualmente, a startup está presente no Porto e em Lisboa e pretende aproveitar o investimento para expandir os seus serviços para novas cidades portuguesas.

Aproveitamos a nossa experiência em fazer crescer empresas operacionalmente complexas e aplicar as aprendizagens anteriores no nosso trabalho com a GuestReady. Temos equipas altamente capazes e especializadas nos diferentes mercados em que operamos, que trazem a experiência local necessária para que possamos movimentar-nos mais rapidamente e fazer uso do capital de forma mais eficiente do que outros do nosso setor”, explicou Christian Mischler, cofundador da GuestReady.

Com sede na Suíça, a GuestReady está presente em Portugal desde novembro do ano passado, Reino Unido, França, Emirados Árabes Unidos, Malásia e Hong Kong. Desde que foi lançada, a GuestReady adquiriu três empresas concorrentes: Oporto City Flats, Easy Rental Services e, mais recentemente, a BnbLord.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: cpeixoto@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)