Rádio Observador

Cabo Verde

Governo de Cabo Verde defende importância do ensino do português e sem complexos

857

O ensino do português é "fundamental" para Cabo Verde. "Nós queremos ter recursos altamente qualificados e a língua portuguesa é a língua do conhecimento", disse o chefe da diplomacia cabo-verdiana.

Luís Filipe Tavares pediu que se apoiasse o Camões -- Instituto da Cooperação e da Língua neste processo.

MAXIM SHIPENKOV/EPA

O chefe da diplomacia cabo-verdiana, Luís Filipe Tavares, defendeu esta quinta-feira que o ensino do português é “fundamental” para Cabo Verde, mas sem complexos e enquanto “língua do conhecimento”, reconhecendo a necessidade de “aprimorar” a aprendizagem.

O ensino do português é fundamental para o futuro de Cabo Verde. Nós queremos ter recursos altamente qualificados e a língua portuguesa é a língua do conhecimento, é a nossa língua e temos de assumi-la de forma descomplexada”, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidades, durante a inauguração do Centro de Língua Portuguesa na cidade do Mindelo, ilha cabo-verdiana de São Vicente.

Na presença do homólogo português, Augusto Santos Silva, o ministro cabo-verdiano apelou para o reforço do apoio ao ensino da língua no país.

“É fundamental aprimorarmos o ensino da língua portuguesa no nosso país. O Governo de Cabo Verde aposta de forma muito clara no reforço da língua portuguesa”, afirmou Luís Filipe Tavares, pedindo, em concreto, apoio do Camões — Instituto da Cooperação e da Língua neste processo.

Instalado na Faculdade de Educação e Desporto, este centro resulta de um protocolo de cooperação assinado entre o instituo Camões e a Universidade de Cabo Verde. Disponibiliza uma biblioteca, um espaço de pesquisa e outro de reuniões, além de um gabinete de trabalho.

A propósito do novo espaço — já funcionam atualmente 76 centros do género em 46 países -, o ministro dos Negócios Estrangeiros e Comunidades de Cabo Verde assumiu a importância, para o desenvolvimento do país, de se cultivar e falar “bem o português”.

“Nós falamos português há mais de 500 anos em Cabo Verde. Falamos crioulo há mais de 500 anos em Cabo Verde. Devemos tudo fazer para promover o ensino da língua portuguesa”, enfatizou.

“A língua portuguesa não é só a língua de Portugal. Ela é tão portuguesa de Portugal como de Cabo Verde, de todos os cabo-verdianos, como de todos os outros países da CPLP. Mas se há um país do mundo que pode reivindicar a língua portuguesa como propriedade, esse país é Cabo Verde (…). Quando os portugueses cá chegaram, não havia, até prova em contrário, ninguém. Então, nós assumimos a língua portuguesa desde o início como nossa e vamos trabalhar para promovê-la”, garantiu Luís Filipe Tavares.

Também para o ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, o centro do Mindelo representa a “importância da educação” na cooperação com Cabo Verde, como a recente abertura da Escola Portuguesa na cidade da Praia, na ilha de Santiago.

“O português é, sobretudo, a língua de todos aqueles que a falam, vivendo nos nossos países [CPLP], e todos aqueles, nossos concidadãos que a falam, vivendo no estrangeiro”, destacou Augusto Santos Silva.

O Centro de Língua Portuguesa — Mindelo pretende apoiar, a nível científico, os estudantes da licenciatura em Língua Portuguesa e Estudos Cabo-verdianos, desenvolver atividade no âmbito da investigação em didática da língua portuguesa e identificar e descrever o lugar deste idioma no âmbito dos programas curriculares.

O espaço foi inaugurado esta quinta-feira pelos chefes da diplomacia dos dois países que, na sexta-feira, participam, também no Mindelo, na XXIV reunião do Conselho de Ministros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Produzir bibliografia e material de apoio que sustente práticas de divulgação e ensino da língua portuguesa e estabelecer ou aproveitar formas de divulgar a investigação produzida, através da formação dos agentes envolvidos nas políticas de língua (como professores, leitores entre outros) são outros dos propósitos do centro.

Financiado pelo instituto Camões, o centro dispõe de um acervo bibliográfico com cerca de 750 títulos, nas áreas da literatura infantojuvenil, didática da língua, didática da literatura, linguística, literatura de expressão portuguesa, manuais, gramáticas, dicionários e obras generalistas.

Integram a CPLP Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Portugal, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)