As altas temperaturas começaram a registar-se na segunda-feira, mas atingiram o pico na quarta-feira, com várias cidades europeias a bater recordes de temperatura máxima naquela que é a segunda onda de calor em menos de um mês a passar pela Europa.

Na Alemanha, os termómetros atingiram os 41,5 graus na tarde desta quinta-feira. Na Bélgica chegou-se aos 40,2 graus e na Holanda aos 41,7. Todos estes números representam recordes de temperatura para cada um dos países. Também se esperam recordes de temperatura no Reino Unido, dizem as autoridades.

Para França, as previsões apontavam para os 40 graus, mas essa máxima foi ultrapassada em várias cidades, incluindo Paris que, ao registar 42,6 graus, supera também um antigo recorde.

Em todo o território, a Bélgica emitiu um alerta vermelho nunca antes visto. Devido ao calor extremo, a maioria dos serviços em Bruxelas vai fechar durante quarta, quinta e sexta-feira às 13h.

Foram vários os métodos adotados pelas populações para ultrapassar este cenário. Ao longo dos últimos dias fontes e praias foram o refúgio favorito de miúdos e graúdos. Até os animais, nos jardins zoológicos ou nas ruas das cidades europeias, usaram a água como refúgio das altas temperaturas. Houve ainda quem aproveitasse para se divertir: mergulhos, banhos de sol e jogos com pistolas de água foram os passatempos de centenas de pessoas. Tudo isso pode ser visto na fotogaleria.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) explica que “embora haja semelhanças entre esta situação meteorológica e aquela que originou a onda de calor na Europa no final de junho de 2019, a previsão desta situação, para alcance de uma semana, evidencia uma situação de menor intensidade e de menor persistência do que a verificada no passado mês de junho”.

Já em território nacional, o calor continua mas com as temperaturas normais para a época do ano. Está previsto que Évora (com 33 graus), Santarém, Castelo Branco e Beja (com 32) sejam os distritos mais quentes nesta quinta-feira. Já no norte do país, pode mesmo chover, segundo dados do IPMA.