A ofensiva eléctrica do Grupo Volkswagen vai começar com a fabricação das primeiras unidades eléctricas alimentadas por bateria e todas elas vão sair de Zwickau. É certo que a Audi, uma das marcas do grupo alemão, já produz o e-tron na Bélgica, mas este é um veículo tradicional, com chassi de motor a gasolina que foi alterado para montar baterias e dois motores eléctricos. Os primeiros eléctricos da nova vaga vão ser produzidos em Zwickau, na Alemanha.

Segundo o fabricante, após um investimento de 1,2 mil milhões de euros, a fábrica alemã está apta a fabricar seis modelos diferentes, à razão de 330.000 unidades por ano. Em comum, estes seis veículos têm o facto de todos terem sido concebidos sobre a plataforma MEB, que vai começar por dar origem ao Volkswagen ID.3. A este “Golf eléctrico” vai seguir-se um Seat eléctrico, que já conhecemos com el-Born, um veículo tão similar quanto possível com o Volkswagen, tanto por dentro como por fora, mas com emblema da marca espanhola e um preço mais acessível.

Sabe-se já que a linha de produção vai igualmente dar origem ao Q4 e-tron, o primeiro eléctrico da nova geração e cheio de potencial (comercial) da Audi. A questão mais curiosa é que, em termos de marcas, depois da Volkswagen, Seat e Audi, nunca surge a Skoda, outra marca do grupo que se sabe que também vai conceber vários modelos sobre a MEB. O “segredo” é que a marca checa do conglomerado alemão vai fabricar os seus eléctricos no seu país de origem, maximizando as vantagens da produção mais barata, face à alemã.

Actualmente, Zwickau produz cerca de 1.350 veículos por dia, divididos por três modelos, todos eles com motores de combustão. Este volume de produção vai passar para 1.500/dia, com carros eléctricos exclusivamente a bateria, com base na MEB.