Rádio Observador

Presidente Trump

“É um grande negócio de imobiliário”. Trump quer (mesmo) comprar a Gronelândia

287

Casa Branca confirmou que o assunto está a ser estudado. Trump explicou depois que a compra é "interessante do ponto de vista estratégico". Dinamarca diz que é um absurdo, ilha não está à venda.

CJ GUNTHER/EPA

Depois das notícias da semana passada, Donald Trump confirmou que está mesmo a pensar comprar a Gronelândia à Dinamarca por razões estratégicas, naquilo a que o próprio apelida de “um grande negócio de imobiliário”.

No domingo, Trump começou por dizer aos jornalistas em Nova Jérsia que os Estados Unidos são “um grande aliado da Dinamarca” e que “a protegem”. Sobre a compra da maior ilha do mundo, Trump confirmou: “(A ideia) foi divulgada de alguma forma. É algo sobre o qual falámos. A ideia surgiu e eu disse ‘claro, do ponto de vista estratégico é interessante’. Mas ainda vamos falar com eles. Posso dizer que não é a prioridade número um”. 

O Presidente norte-americano disse ainda que comprar o território seria favorável para os Estados Unidos.“Basicamente, é um grande negócio de imobiliário. Estrategicamente, seria bom para os Estados Unidos. Vamos analisar”, declarou. E o chefe da Casa Branca não descarta uma visita à Dinamarca num futuro próximo: “Mas não por esta razão, de todo”, afirma, citado pelo The Guardian.

As declarações de Trump surgiram depois de o conselheiro económico da Casa Branca, Larry Kudlow, ter confirmado no mesmo dia numa entrevista à Fox News que a compra da Gronelândia estava a ser considerada. “É uma história interessante que está em desenvolvimento. Estamos a analisar, não sabemos. Há vários anos, Harry Truman (Presidente na altura) quis comprar a Gronelândia. A Dinamarca é dona da Gronelândia, e a Dinamarca é uma aliada”, disse Kudlow.

Na sequência destas declarações, a primeira-ministra dinamarquesa afirmou que a Gronelândia não está à venda e que a ideia de vender aquele território aos Estados Unidos é “uma discussão absurda”.

A Gronelândia não está à venda. A Gronelândia não é da Dinamarca. A Gronelândia pertence à Gronelândia. Espero sinceramente que isto não seja a sério”, frisou Mette Frederiksen, citada pela Reuters.

Também Kim Kielsin, primeira-ministra da Gronelândia já tinha dito que aquela ilha não está à venda. Para Frederiksen, a posição da primeira-ministra do território é “o fim da discussão”. 

A notícia começou a circular na quinta-feira, depois de o Wall Street Journal avançar que Donald Trump já teria referido o assunto em diversas ocasiões em reuniões e jantares. “O que é que acham disso? Ia resultar?”, terá pergunto o líder norte-americano.

Segundo o New York Times, o Presidente estará interessado na Gronelândia uma vez que é um território rico em recursos naturais, como carvão e urânio e iria aumentar a sua influência no Ártico.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)