A marca francesa já está a comercializar o novo Zoe, que em breve chegará ao nosso país. O seu principal trunfo reside na autonomia, que foi homologada segundo o WLTP em 395 km, a maior entre os veículos deste segmento e nível de preço. Daí que a Renault tenha revelado um vídeo a revelar como o seu novo utilitário eléctrico lida com a tradicional ansiedade provocada pelos eléctricos, devido à menor autonomia.

O vídeo tem apenas 30 segundos, mas chama a atenção das principais vantagens do novo Zoe, bem como as diferenças face à geração anterior. Com o preço a baixar ligeiramente, em igualdade de condições, o novo Zoe com a bateria maior, com 52 kWh de capacidade, percorre 395 km, mais 95 km do que até aqui (com bateria de 41 kWh) o que lhe permite ambicionar ir mais longe, sem estar limitado a uma utilização essencialmente urbana.

Depois carrega a 50 kW, a potência máxima dos postos de carga rápida em Portugal (à excepção dos Superchargers da Tesla), o que garante energia para percorrer mais 150 km em apenas 30 minutos, apesar de, face à concorrência, é mais importante o facto de conseguir recarregar a 22 kW em postos de carga normal, em AC, o que lhe assegura 126 km numa hora.

O Zoe vai estar disponível entre nós com dois níveis de potência (há países que optaram por apenas propor o mais potente, o que faz todo o sentido), respectivamente 108 cv e 135 cv, sendo este último o novo e o mais interessante de utilizar, revelando-se mais rápido sem beliscar o consumo, perante o mesmo tipo de utilização.

Também vão ser comercializadas duas capacidades de bateria, ainda que na realidade seja a mesma, apenas limitada electronicamente. A primeira com 41 kWh e cerca de 300 km de autonomia, ou seja, equivalente ao modelo antigo, para a bateria maior oferecer os já mencionados 52 kWh e 395 km, de longe a proposta mais entusiasmante, especialmente perante a concorrência do grupo PSA que se aguarda para breve.