“Em profunda divergência” com o Bloco de Esquerda, Mamadou Ba está de saída do partido. A decisão foi tomada “em janeiro deste ano, no rescaldo dos acontecimentos do bairro Jamaica”, explicou o dirigente do SOS Racismo e ex-assessor do Bloco num comunicado citado pelos dois jornais.

Em finais de janeiro deste ano, Mamadou Ba esteve envolvido numa polémica na sequência de declarações feitas no Facebook sobre a atuação da polícia no bairro da Jamaica, no Seixal, que fez surgir acusações de violência policial com motivações racistas. Num de vários posts publicados a 21 de janeiro, acabaria por ser mais agressivo, dizendo, com ironia, que até é “uma coisa natural” que “um gajo tenha de aguentar com a bosta da bófia e da facho esfera”, mas que já era “um tanto cansativo” ter de “levar com sermões idiotas de pseudo-radicais iluminados”.

Agora, passados vários meses, o dirigente do SOS Racismo vem explicar que a sua “desvinculação”, decidida nessa altura,”resulta de uma profunda divergência”. “O que renego não é o projeto que deu origem ao Bloco, mas o que o partido se tornou ao longo do tempo”, declarou, lembrando que a ligação ao Bloco “dura desde a sua fundação”. “Nesses 20 anos, para além da militância, partilhei responsabilidades coletivas enquanto membro da Mesa Nacional, da Comissão de Direitos e da Coordenadora Concelhia de Lisboa. Formalizo hoje a minha desvinculação do Bloco”, afirmou ainda.