A piscina no resort Club La Costa World, em Espanha, na qual morreram três pessoas — um pai e dois filhos — na última véspera de Natal não tinha problemas nos sistemas de filtragem e de bombeamento de água, ao contrário do que se chegou a pensar. A informação foi avançada pelas autoridades espanholas e é citada no jornal britânico The Guardian. Um elemento da família que sobreviveu veio entretanto esclarecer que as três vítimas não saberiam nadar.

De acordo com o meio de comunicação britânico, que cita informações da polícia espanhola, alguns mergulhadores das autoridades do país verificaram as condições da piscina do resort. Não encontraram “nada de errado nos sistemas de filtragem e bombeamento de água da piscina”.

As circunstâncias da morte de Gabriel Diya, de 52 anos, e dos seus dois filhos — um rapaz de 16 anos, Praise-Emmanuel Diya, e uma rapariga de 9, Comfort Diya — estão ainda a ser apuradas. Sabe-se, para já, que a piscina não tinha nadadores salvadores na altura em que os três se afogaram. As autoridades referem também que vários empregados correram na direção do local quando ouviram gritos com pedidos de ajuda, tentando ainda reanimar Gabriel, Praise-Emmanuel e Comfort, mas não foram bem sucedidos.

A incapacidade de nadar de Gabriel e dos seus dois filhos está agora a ser investigada como possível causa de afogamento, segundo referem o The Guardian e meios de comunicação espanhóis. A polícia acredita que Comfort, que tinha 9 anos, estava na piscina mas terá escorregado para uma zona em que já não tinha pé, por volta das 14h00 do dia 24 de dezembro. Terá então ficado em dificuldades, começando a afogar-se. O seu irmão de 16 anos terá saltado para a piscina para a tentar salvar e o pai dos dois terá feito o mesmo logo de seguida.

Pai e filho tentaram salvar outra filha e morreram todos afogados em piscina no sul de Espanha

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Um porta-voz do sindicato policial Associação Unida das Guardas Civis, Francisco Gonzalez, disse ainda aos meios de comunicação espanhóis, citado pelo The Guardian: “A irmã que sobreviveu disse que eles não sabiam nadar. Com essa informação somada ao facto da água na piscina estar muito fria, o mistério do que causou esta terrível tragédia começa a revelar-se”.

A gestão do resort espanhol abriu uma investigação interna para apurar mais detalhes sobre o incidente, mas negou já qualquer responsabilidade ou negligência no afogamento. Os responsáveis do hotel garantiram ainda que a piscina não tinha qualquer problema, tanto que já voltou a abrir ao público.

O rapaz de 16 anos nasceu no Illinois e tinha passaporte norte-americano. Era o único elemento da família que morreu e que não nasceu no Reino Unido. Os três viviam atualmente em Charlton, no Reino Unido.