A Conferência Episcopal de Espanha propõe que os casais que tenham intenção de casar passem por um curso pré-matrimonial com uma duração de dois a três anos, para evitar separações e divórcios. Os bispos espanhóis consideram que os cursos atuais, que duram apenas 20 horas, são demasiadamente curtos.

Uma formação matrimonial não se pode fazer em 20 horas. Para ser sacerdote é preciso passar sete anos no seminário. E para ser marido, mulher, pai e mãe, [bastam] 20 horas?”, questionou Mario Iceta, bispo de Bilbau e presidente da subcomissão para a família e a defesa da vida da Conferência Episcopal, numa conferência de imprensa citada pelo La Vanguardia.

Para sustentar a proposta, os bispos citam dados estatísticos que mostram que, cinco anos depois do casamento, 40% dos casais já se separaram. Essa taxa sobe para 60% aos 15 anos de casamento.

A formação terá 12 temas, que passam pela sexualidade, a fidelidade, as relações sexuais antes do casamento e a resolução de conflitos, e não será obrigatória. Cada diocese poderá decidir que curso e com que duração é necessário para cada casal.