O navio Ocean Viking, operado pelas organizações não-governamentais (ONG) Médicos Sem Fronteiras (MSF) e SOS Mediterránee, resgatou 92 pessoas que estavam a bordo de um barco no mar Mediterrâneo, a 48 quilómetros da costa da Líbia.

As duas organizações não-governamentais (ONG) explicaram nas redes sociais que a operação de resgate foi difícil.

De acordo com as ONG, várias mulheres, algumas grávidas, e crianças também estavam no barco. As pessoas na embarcação estavam muito fracas, em estado de hipotermia e a sofrer de tonturas, além de estarem cobertas pelo combustível do barco, acrescentaram as ONG.

O navio Ocean Viking desembarcou a 21 de janeiro no porto de Pozzallo, na ilha italiana da Sicília, 39 migrantes que haviam resgatado quatro dias antes.

Após a saída da Liga (partido de extrema-direita) do Executivo italiano e com a nova formação de Governo – composto pelo Movimento 5 Estrelas (M5S) e pelo Partido Democrata (PD) e outros grupos progressistas -, os navios humanitários não sofrem mais impedimentos para desembarcar migrantes resgatados nos portos italianos graças ao mecanismo de redistribuição de migrantes nos países europeus.