Rui Moreira, presidente da Câmara Municipal do Porto, criticou esta terça-feira uma reportagem da TVI que considerava, através de um rodapé, que a população do Norte do país é “menos educada”. Através de uma publicação no Facebook, Rui Moreira acusou a estação de televisão de “portofobia”. Estação abriu telejornal das 20h00 a pedir desculpa ao Porto.

“Numa peça emitida no Jornal das 8, a TVI ouviu especialistas que explicaram a disparidade de incidência da pandemia a Norte e a Sul. Invocaram o facto de a infeção ter começado a Norte, devido a ligações dos empresários a Itália e a Espanha, a concentração demográfica maior a Norte e uma economia muito concentrada em indústrias, que não podem trabalhar em teletrabalho. Ou seja, a economia do Norte, assente na indústria, era e é mais vulnerável”, começa por dizer o autarca.

“Porém, a jornalista e o oráculo da peça concluíam mais além, e atribuíram a maior incidência da doença ao facto de a população do Norte ser mais pobre… e ‘menos educada’. A peça da TVI conclui portanto, sem base científica, que os nortenhos são menos educados e mais pobres e que é por isso que têm mais Covid-19″, acrescenta Rui Moreira. Na reportagem em questão, precisamente sobre a distribuição demográfica das infeções por coronavírus — o Norte é a região mais fustigada, ainda que Lisboa seja o concelho com mais casos –, pode ler-se no rodapé que a população daquela zona do país é “menos educada, mais pobre, envelhecida e concentrada em lares”.

Do “Norte” com educação———————————No dia 7 de Abril, a BBC perguntava num interessante e bem sustentado artigo, por…

Posted by Rui Moreira on Tuesday, April 14, 2020

Na publicação no Facebook, Rui Moreira continua. “A TVI poderia ter concluído sem base científica mas com alguma lógica empírica. Contudo, nem uma coisa nem outra. Partir do princípio de que a “falta de educação” e a “pobreza” provocam Covid-19 é quase tão absurdo como imaginar que uma boa francesinha a cura, ou que beber água morna a previne. Aliás, é até um pouco mais absurdo, porquanto a distribuição geográfica dos casos existentes em Portugal levariam então a concluir que a população de Lisboa seria bastante (mas mesmo muito) menos educada e pobre que a da Amadora, Seixal, Almada, Loures ou que a de qualquer cidade do Alentejo, já que Lisboa apresenta casos positivos de Covid-19 muito acima destas localidades que a rodeiam”, acrescenta o presidente da Câmara Municipal do Porto.

Depois das críticas de Rui Moreira, onde o autarca acusa a TVI de “portofobia” e diz ainda que há pessoas “que acham que ‘este país’ seria melhor sem ‘o Norte'”, a estação de televisão já reagiu à polémica. Em comunicado, o diretor de informação da TVI assume o “erro grosseiro” e pede desculpa ao Porto e ao respetivo autarca. Um pedido de desculpas que repetiu na abertura do principal noticiário da estação, o telejornal das 20h00. “Da mesma forma que um erro grosseiro – que não foi previamente detetado nestas difíceis condições em que a pandemia também coloca ao trabalho dos jornalistas e de uma televisão – não caracteriza todo um Jornal e, menos ainda, uma estação televisiva que todos os dias acorda guiada pela sua mais nobre missão que é servir os portugueses. Sem exceções e sem discriminações de natureza alguma”, pode ler-se na nota assinada por Sérgio Figueiredo.

“Nada justifica, porém, a construção de uma frase infeliz no ecrã, nem a parte do texto que a suportava. Nomeadamente aquela que, entre as razões demográficas e sociológicas indagadas, sugeria níveis de educação abaixo da média nacional. Essa frase foi por muitos interpretada como uma ofensa às gentes do Norte — o que não era evidentemente o nosso propósito”, concluiu a comunicação da TVI. Rui Moreira, entretanto, partilhou o comunicado da estação de televisão nas próprias redes sociais e garantiu que “o Porto sabe aceitar” o pedido de desculpas.