A comissão interministerial do governo timorense para lidar com a Covid-19 deliberou esta sexta-feira estender durante 30 dias o estado de emergência em vigor até 28 de março, medida que terá que passar pelo Presidente da República e Parlamento.

Aprovámos na comissão interministerial o pedido para alargar o estado de emergência durante mais 30 dias”, disse à Lusa Fidelis Magalhães, ministro da Reforma Legislativa e Assuntos Parlamentares. “A decisão foi aprovada hoje na comissão interministerial e será agora formalizada pelo Conselho de Ministros que fará uma proposta nesse sentido ao Presidente da República, tendo ainda que ser aprovada pelo parlamento”, referiu.

Fidelis Magalhães disse que o alargamento foi aprovado depois de uma “apresentação técnica” sobre a ameaça da Covid-19 e os “preparativos e prontidão nacional”, tendo em conta o aumento de casos na região. “Considerando a possibilidade do epicentro do surto passar para esta região e porque ainda não chegamos ao pico, o governo decidiu que convém manter o estado de emergência para poder antecipar e reduzir os efeitos negativos”, afirmou.

O governante explicou que cabe ao governo aprovar depois as medidas concretas, escusando-se a confirmar se vai ou não haver algum endurecimento das medidas já em vigor.

O decreto do estado de emergência dá ao governo uma margem para que, tempo a tempo, possa decidir alterar ou aumentar as medidas em vigor”, sublinhou.

Timor-Leste tem até ao momento 18 casos confirmados de Covid-19, dos quais um recuperado.

A nível global, a pandemia de Covid-19 já provocou mais de 145 mil mortos e infetou mais de 2,1 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa quatro mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), encerraram o comércio não essencial e reduziram drasticamente o tráfego aéreo, paralisando setores inteiros da economia mundial.