O Gmail bloqueia diariamente mais de 100 milhões de mails de phishing, ataque informático que visa “pescar” dados do utilizador, sendo que na última semana foram registados 18 milhões relativos à Covid-19, revelou esta sexta-feira a Google.

“Durante a última semana, observámos 18 milhões de mails diários de malware e de phishing relacionados com a Covid-19″, refere a Google, que detém o serviço gratuito de webmail Gmail. “E a isto juntam-se mais de 240 milhões de mensagens de spam [publicidade em massa] diárias relacionadas com a Covid-19”, acrescenta a Google.

“Os ataques de phishing e armadilhas online que estamos a observar usam tanto o medo quanto os incentivos financeiros para criar urgência e tentar levar os utilizadores a responder. Os exemplos são: fazerem-se passar por organizações governamentais autorizadas, como a Organização Mundial de Saúde (OMS), para solicitar donativos fraudulentos ou distribuir ‘malware’ [código malicioso que visa infiltra-se no computador] e um aumento de tentativas de ‘phishing’ aos funcionários que trabalham a partir de casa”, alerta a tecnológica.

A Google refere que, em muitos casos, “estas ameaças não são novas – são campanhas de malware existentes que foram simplesmente atualizadas para explorar a atenção intensificada na Covid-19“.

A tecnológica aconselha ainda algumas boas práticas para evitar este tipo de ciberataques como por exemplo concluir o checkup de segurança da conta de mail, evitar o download [transferência de ficheiros] de origem desconhecida, evitar ou reportar mails de phishing, entre outras medidas.