O Ministério da Administração Interna (MAI) entregou 1,5 milhões de equipamentos de proteção individual à PSP, GNR, SEF, ANSR e Proteção Civil desde o início da pandemia de Covid-19, avançou esta quarta-feira a secretária de Estado da Administração Interna.

“Foram distribuídos 1,5 milhões de equipamentos de proteção individual (EPI) e, desde ontem [terça-feira], foram entregues 382 mil equipamentos a todos os serviços”, disse à Lusa Patrícia Gaspar a propósito de um evento que assinalou o sexto reforço deste material feito pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) aos Corpos de Bombeiros.

O objetivo do Governo é “proteger devidamente os principais atores na linha da frente contra a Covid-19, para que possam cumprir a sua missão com as devidas garantias de segurança”, realçou Patrícia Gaspar.

Esta quarta-feira foram entregues aos Corpos de Bombeiros 58 mil máscaras cirúrgicas, 80 mil máscaras FFP2, 1.500 óculos de proteção, 400 batas de proteção, 70 mil toucas, mil luvas, 12 mil cobre botas e 2.500 fatos integrais, no Comando Distrital de Operações (CDOS) de Lisboa, numa cerimónia que contou com o presidente da ANEPC, Carlos Mourato Nunes e o presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Jaime Marta Soares, além de Patrícia Gaspar.

“É um esforço grande de diferentes áreas do Governo, como o Ministério da Saúde e o Ministério dos Negócios Estrangeiros, já que grande parte dos equipamentos vem do exterior, e há uma rutura do mercado”, salientou a secretária de Estado.

Patrícia Gaspar destacou ainda que os bombeiros são responsáveis por grande parte do transporte pré-hospitalar dos doentes suspeitos e confirmados com Covid-19, adiantando que há 307 Corpos de Bombeiros a funcionar a 100% e que há 118 entidades a funcionar com uma capacidade entre os 75% e os 100%, isto, quando estão identificados 116 bombeiros com testes positivos ao novo coronavírus.

Portugal regista 785 mortos associados à Covid-19 em 21.982 casos confirmados de infeção, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia.

Relativamente ao dia anterior, há mais 23 mortos (+3%) e mais 603 casos de infeção (+2,8%).

Das pessoas infetadas, 1.146 estão hospitalizadas, das quais 207 em unidades de cuidados intensivos, e o número de doentes curados aumentou de 917 para 1.143.