N’Golo Kanté é campeão do mundo pela seleção francesa, fez parte da histórica equipa do Leicester que em 2016 conquistou a Premier League antes de rumar ao Chelsea e é um dos melhores médios da atualidade. Ainda assim, e mesmo com este currículo, Kanté é normalmente reconhecido com outra característica que pouco ou nada tem que ver com futebol: o sorriso. É raro surgir uma fotografia do jogador francês em que este não esteja a rir, a sorrir ou a preparar-se para isso. A simpatia do médio, que contrasta com os semblantes tantas vezes carregados dos outros jogadores que estão no balneário, no túnel, no jogo, no treino, tornou-se a principal linha de caráter de um atleta claramente acima da média.

O Chelsea, assim como a maioria dos clubes ingleses, voltou aos treinos de conjunto esta terça-feira. E Kanté, depois de testar negativo para a Covid-19, foi um dos elementos dos blues que apareceram em Cobham, o centro de treinos, para voltarem a realizar exercícios que não individuais. Um dia depois, porém, o Chelsea anunciou que o médio francês não compareceu no treino desta quarta-feira, depois de pedir autorização tanto ao clube como a Frank Lampard — permissões essas que foram desde logo garantidas. Em causa, de acordo com o The Guardian, estará o facto de o jogador de 29 anos não estar convencido de que já é seguro treinar, principalmente numa fase em que o Reino Unido ainda mantém muitas das medidas de restrição.

Não há entradas duras nem boleias. As regras da Premier League para a primeira fase de regresso aos treinos

Lampard, o treinador, apoia por completo a decisão de Kanté e ainda não se sabe quando é que o francês quer regressar aos treinos. O jornal inglês avança ainda que o receio do jogador pode estar relacionado com as perdas familiares que já sofreu — o irmão mais velho morreu de ataque cardíaco antes do Mundial 2018, o pai morreu quando Kanté tinha 11 anos — e também com a própria saúde. Há dois anos, durante um treino, desmaiou de um momento para o outro à frente dos colegas e foi o protagonista de um enorme susto no cerne do grupo do Chelsea. Os exames realizados na sequência do episódio não revelaram qualquer problema cardíaco mas a verdade é que o médio falhou o jogo seguinte.

“Quero lá saber do moral da nação, pá”. Danny Rose não quer voltar a jogar nas próximas semanas

Kanté não é, porém, o único jogador a recusar apresentar-se nos treinos por receio da Covid-19. Troy Deeney, capitão do Watford, e outros colegas de equipa anunciaram que não vão regressar já aos trabalhos — isto depois de três elementos do clube, um deles o central Adrian Mariappa, terem testado positivo para o novo coronavírus. Tal como o Chelsea, também o Watford não colocou qualquer obstáculo à posição dos jogadores, limitando-se e informá-los sobre os exercícios realizados pelos colegas no treino para que os possam fazer em casa.

“Acho que é importante que eles sintam que podem tomar uma decisão destas. Acho que um dos pontos-chave em tudo isto é que ainda existem algumas perguntas sem resposta. Se existir qualquer elemento de dúvida, e se os jogadores sentirem que existem demasiados pontos de interrogação, então nós respeitamos a decisão deles”, disse Nigel Pearson, treinador do Watford, à Sky Sports.