A seguradora cabo-verdiana Garantia entrega esta segunda-feira às autoridades de saúde do país 4 mil testes rápidos para reforçar a campanha de massificação de testagem à presença do novo coronavírus na comunidade.

Numa nota enviada à agência Lusa, a seguradora, liderada pela companhia portuguesa de seguros Fidelidade (55,8%), explica que parte do valor gasto com a aquisição destes testes foi canalizado do orçamento do Prémio Garantia Comunidade, uma iniciativa de âmbito social que deveria ter sido lançada em março, mas que a empresa adiou para 2021, devido à pandemia.

Este gesto simbólico reafirma o compromisso que a Garantia e o grupo Fidelidade têm com o desenvolvimento sustentável de Cabo Verde”, justifica a seguradora cabo-verdiana.

Em causa estão testes rápidos, adquiridos pela Garantia para entrega ao Ministério da Saúde, que implicam a recolha de uma pequena mostra de sangue para avaliar se a pessoa já teve contacto com o novo coronavírus, que provoca a Covid-19, e se criou imunidade.

Nos últimos dias, as autoridades de saúde, Cruz Vermelha de Cabo Verde e proteção civil têm massificado a realização desses testes em tendas montadas em vários bairros da Praia, o principal foco da doença no país.

Até à passada sexta-feira já tinham sido realizados cerca de 3.000 testes rápidos de pesquisa de anticorpos do novo coronavírus, na Praia e na Boa Vista, e os resultados são “muito encorajadores”, conforme admitiu o diretor nacional de Saúde.

Artur Correia explicou na sexta-feira que os testes rápidos começaram a ser feitos no início do mês de maio, a partir do momento em que houve essa disponibilidade de equipamentos adquiridos pelo Estado.

Dos cerca de 3 mil testes realizados até agora, explicou que a maioria foi na cidade da Praia (2.200), capital do país, na ilha de Santiago, e os restantes na Boa Vista, a ilha onde foi diagnosticado o primeiro caso de Covid-19 em Cabo Verde e que desde quinta-feira não regista doentes ativos.

A cidade da Praia é agora o epicentro da doença no país e é também onde os testes rápidos estão a ser intensificados nos bairros com mais casos, nomeadamente Vila Nova, Ponta d’Água, Achada de Santo António, Cobom, Tira Chapéu e Achada Grande Frente.

Devemos dizer que os dados são muito encorajadores. Não temos encontrado muitos positivos e esses testes têm servido também para fazer uma triagem de todos os casos positivos, que serão reconfirmados com teste PCR (de infeção do novo coronavírus)”, adiantou Artur Correia.

O responsável explicou que estes resultados transmitem “informações de como é que o vírus estaria a circular na comunidade”. “E os resultados são muito animadores”, garantiu Artur Correia.

Cabo Verde regista um acumulado de 380 casos de Covid-19 diagnosticados desde 19 de março, mas apenas na ilha de Santiago permanecem casos ativos (321). Três doentes acabaram por morrer, dois turistas estrangeiros infetados acabaram por voltar aos países de origem e 155 doentes foram dados recuperados, pelo que permanecem ativos 220 casos, todos em isolamento.

Em África, há 3.246 mortos confirmados em mais de 107 mil infetados em 54 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia naquele continente.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de Covid-19 já provocou mais de 343 mil mortos e infetou mais de 5,3 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Mais de dois milhões de doentes foram considerados curados.