O presidente da SATA disse esta sexta-feira que a empresa quer passar a ser “parte das soluções e não dos problemas” nos Açores, dizendo que, com a pandemia de Covid-19, tem as mesmas pessoas “mas não é a mesma empresa”.

“O que não nos mata deixa-nos mais fortes”, declarou Luís Rodrigues, intervindo numa conferência virtual organizada pela revista Publituris e focada no setor do turismo.

A SATA “tem um papel desproporcionalmente importante” nos Açores, “maior que a TAP no continente”, por exemplo, frisou o seu presidente, acrescentando que o momento agora é de “comunicar positivamente, mantendo as medidas de segurança e saúde pública”, a começar desde logo para os trabalhadores da transportadora.

Luís Rodrigues acredita que, no futuro próximo, o “passa palavra positivo” entre os turistas “vai valer ouro” e a “experiência inimaginável” que é visitar os Açores pode beneficiar desse fator.

A SATA Air Açores, que opera entre as nove ilhas da região, retomou hoje a sua operação, depois de cerca de dois meses em que apenas voava entre ilhas por “motivos de emergência ou transporte de carga”, assinalou o presidente da empresa.

Já a Azores Airlines, que opera de e para fora do arquipélago, vai retomar em 15 de junho as ligações aéreas entre Lisboa e Ponta Delgada e Lisboa e a Terceira, bem como entre o Funchal e Ponta Delgada.

Posteriormente, em 22 de junho, recomeçam os voos entre Lisboa e os aeroportos da Horta e do Pico, e, por fim, em 1 de julho, serão retomadas as operações entre o Porto e Ponta Delgada, bem como as ligações internacionais a Boston (EUA), Toronto (Canadá), Praia (Cabo Verde) e Frankfurt (Alemanha).

Na região, foram detetados até ao momento 146 casos de infeção, verificando-se 128 recuperados, 16 óbitos e dois casos positivos ativos para infeção pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que causa a doença Covid-19, ambos na ilha de São Miguel.

Grupo SATA fechou 2019 com prejuízos de 53 milhões de euros, valor semelhante ao ano anterior

O grupo SATA fechou o ano de 2019 com prejuízos de 53 milhões de euros, valor semelhante ao registado em 2018, mas com melhorias em ambas as transportadoras aéreas, anunciou esta sexta-feira a empresa.

O grupo SATA é formado pela Azores Airlines, que opera de e para fora da região, e pela SATA Air Açores, que faz as ligações entre as nove ilhas açorianas.

No que se refere à Azores Airlines, os prejuízos foram de 55,8 milhões de euros, uma melhoria de 7,6 milhões face a 2018, diz a empresa.

Já a SATA Air Açores passou de prejuízos de 2,6 milhões de euros para lucros de dois milhões de euros.

“Destacam-se a melhoria dos resultados líquidos e operacionais de ambas as transportadoras aéreas, que compensaram o forte impacto que a dívida e juros da dívida continuam a assumir no exercício do ano. No essencial, a recuperação financeira do grupo SATA está dependente da concretização do plano de recapitalização das empresas, o que permitirá alcançar o seu equilíbrio operacional e financeiro”, diz a empresa na nota à imprensa que acompanha os resultados do exercício.

Em novembro de 2019, a SATA trocou de presidente executivo, entrando para o lugar o antigo administrador da TAP Luís Rodrigues.

O atual conselho de administração, lembra esta sexta-feira a empresa, “tomou posse apenas em janeiro 2020, sendo que a análise efetuada às contas do ano transato decorre de um exercício formal e não do conhecimento mais aprofundado das circunstâncias” em que decorreu 2019.