Kate e Gerry McCann, os pais de Madeleine (Maddie) McCann, pediram às autoridades alemã que lhes revelem as provas que levam a afirmar que a filha está morta. Como avança o tablóide britânico Mirror, o casal não foi informado sobre a razão de estar a tratar o caso como um homicídio e não um desaparecimento.

Já de acordo com o jornal espanhol ABC, a Polícia Judiciária terá dado ao Instituto de Medicina Legal e Ciências Forenses de Coimbra uma amostra de saliva que foi encontrada na cama de Maddie. Este instituto terá uma nova “ferramenta”, que não havia há 13 anos, que pode dar novas pistas sobre este desaparecimento e fazer a ligação com o novo suspeito.

Maddie McCann. Suspeito chama-se Christian Brueckner e está a ser investigado por homicídio

Depois das revelações avançadas no início de junho, as autoridades alemãs reforçaram a ideia de que a tese mais provável é a de que a criança inglesa tenha sido assassinada. “Acreditamos que Madeleine McCann está morta”, anunciou o Ministério Público alemão numa conferência de imprensa, durante a qual foram revelados mais alguns detalhes sobre novo principal suspeito, Christian Brueckner.

A polícia alemã acredita que Brueckner, que está preso no país devido a outros crimes, raptou e matou a criança. De acordo com as autoridades do país, há registos telefónicos que comprovam que o predador sexual estava perto da Praia da Luz em 2007.

O porta-voz do casal britânico afirmou este fim-de-semana a outro tablóide do país, o Daily Mail, que os pais acreditam que a filha está viva. Contudo, estão “realistas” quanto ao que pode ter acontecido. Por causa disso, pedem provas às autoridades alemãs.

Brueckner, de 43 anos, foi condenado devido ao abuso de raparigas menores. Até agora o predador alemão tem recusado falar sobre o alegado envolvimento no desaparecimento de Madeleine McCann..