A detenção de Ghislaine Maxwell por ligações a Jeffrey Epstein, na quinta-feira de manhã, veio aumentar a pressão para o lado da família real britânica. Na mesma conferência de imprensa onde ficou claro que Maxwell está agora acusada de seis crimes relacionados com tráfico sexual, os procuradores voltaram a pedir que o príncipe André colabore com as investigações.

“Gostaríamos de receber o príncipe André para que falasse connosco, gostaríamos de poder beneficiar do seu testemunho”, disse a procuradora do distrito Sul de Nova Iorque, Audrey Strauss. “Não temos mais comentários além do que eu já disse (…) as nossas portas permanecem abertas”, afirmou, citada pelo britânico The Guardian.

Príncipe André já se ofereceu três vezes para cooperar no caso Epstein, garantem advogados

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.