Já está disponível em português o chatbot do WhatsApp que permite aos utilizadores verificar a autenticidade de informações relacionadas com o novo coronavírus. A ferramenta da International Fact-Checking Network (IFCN) — que reúne organizações dedicadas à verificação independente de factos — já existia em inglês, espanhol e hindi. Nesta terça-feira foi lançada em português e chega a Portugal e ao Brasil.

O chatbot — que mimetiza uma troca de mensagens entre duas pessoas — esclarece se determinadas informações enviadas aos utilizadores já foram classificadas como “falsas”, “parcialmente falsas”, “enganosas” ou “sem evidência” por uma das organizações da rede internacional de verificação dos factos. Além disso, também é possível consultar os últimos fact checks feitos pelo IFCN ou encontrar temas específicos através de uma pesquisa por palavras-chave.

Eis como tudo funciona. Primeiro, precisa de guardar o número “+1 (727) 291 2606” na agenda. Para acionar o chatbot, envie uma mensagem com a palavra: “Olá” a esse contacto. A partir daí, o sistema identifica o país do utilizador através do número de telemóvel que usa na aplicação; e fornece uma lista com o nome e o site das organizações de verificação dos factos perto do utilizador.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A seguir, o cliente é encorajado a entrar em contacto direto com a organização e a acompanhar o trabalho dos verificadores de factos. Ou seja, o chatbot “é simplesmente uma forma de facilitar aos utilizadores do WhatsApp um contacto direto com os verificadores de factos” e “dar acesso a um banco de dados onde é possível procurar por boatos sobre o coronavírus”, explica a IFCN.

De acordo com a rede, os verificadores de factos não terão acesso a outras mensagens além das que foram enviadas diretamente para eles, uma vez que as mensagens do WhatsApp são privadas e protegidas com criptografia. “Apenas o remetente e o destinatário da mensagem podem ver o conteúdo dessa mensagem e mais ninguém, nem mesmo o WhatsApp”, prossegue.