Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O humorista Ricardo Araújo Pereira vai estar presente num dos debates promovidos pela Festa do Livro, na Festa do Avante, a propósito das “comemorações dos 150 anos do nascimento de Lénine e os 200 anos de Engels”, avança a “Abril Abril”, página noticiosa do PCP. O debate vai ser com a dirigente comunista Margarida Botelho, moderado pelo jornalista Pedro Tadeu, e o tema é a relação entre o humor e a política.

Segundo o PCP, a Festa do Livro da edição deste ano da Festa do Avante vai reunir vários escritores que irão integrar painéis de debate e apresentações de livros.

Além do debate sobre humor e política, vai haver ainda um outro sobre “As consequências económicas, sociais e políticas da pandemia”, assim como um “debate com o ex-preso político José Pedro Soares sobre o Forte de Peniche” e ainda um debate sobre “A natureza agressiva do imperialismo”.

O PCP explica que serão tomadas as medidas de segurança necessárias para garantir o funcionamento da habitual feira do Livro na festa da rentrée comunista, destacando o facto de o espaço ser ao ar livre (com sombra), ter um “único circuito a percorrer pelos visitantes” e de ter “uma ampla área de caixas para a saída”. Estas, diz o artigo da Abril Abril são algumas das “medidas que visam assegurar as medidas sanitárias necessárias e promover o distanciamento físico”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A realização da Festa do Avante numa altura em que, com a pandemia, muitos festivais foram cancelados, tem estado no centro de uma polémica, com o líder do PSD, Rui Rio, a apontar o dedo ao PCP, que argumenta que a festa da rentrée comunista não é um festival mas sim um evento de índole política com condições para manter o distanciamento social e o cumprimento das regras sanitárias.

Ainda este fim de semana, Rui Rio lembrou, no Twitter, que na Alemanha houve concertos em recintos (fechados) com um limite de 2.000 espetadores, e os comunistas responderam em comunicado que o espaço da festa do partido é “cerca de oito vezes maior e ao ar livre” e remataram: “O ridículo não tem limites”.

PCP responde a Rui Rio: “O ridículo não tem limites”

O limite máximo diário da Festa do Avante será cerca de 33 mil pessoas, um terço da capacidade do recinto, sendo que Jerónimo de Sousa já garantiu que irão ser cumpridas todas as medidas de segurança a determinar pela Direção-Geral de Saúde. “Saberemos preparar e realizar a festa com as medidas de proteção necessárias”, disse o secretário-geral do PCP, na sexta-feira, num encontro com militantes, insistindo: “Não queremos nem precisamos de favores, não admitimos é a discriminação em relação a outras iniciativas”.