Cerca de quatro mil pessoas participaram esta terça-feira nas celebrações do 13 de outubro, que encerraram o ciclo das grandes peregrinações do ano ao Santuário de Fátima. Devido à pandemia da Covid-19 — e sobretudo depois da inesperada enchente de setembro —, o santuário implementou um plano de contenção que incluiu a limitação da lotação do espaço a um máximo de seis mil peregrinos e a dispersão dos participantes pelo recinto através de círculos pintados no chão.

Contudo, apesar da reduzida lotação, o santuário não precisou de fechar as portas em nenhum momento: na noite das velas o número de peregrinos não ultrapassou os cinco mil; na manhã de terça-feira, depois de um arranque com 3.200 pessoas no recinto, a assembleia acabaria por atingir os cerca de quatro mil para a procissão do adeus.

Depois de um primeiro dia marcado por uma longa conferência de imprensa sobre as contas e o plano de reestruturação do Santuário de Fátima e de uma noite de velas com avisos do presidente da Conferência Episcopal, D. José Ornelas, contra os movimentos populistas que ganharam espaço durante a pandemia, as celebrações de terça-feira foram uma oportunidade para o bispo de Setúbal apelar à Igreja para que valorize mais o papel das mulheres — ainda que tenha deixado de fora a possibilidade de ordenação sacerdotal no feminino.

Fátima. Presidente da Conferência Episcopal quer mulheres com mais poder na Igreja, mas descarta ordenação

Veja na fotogaleria as imagens das celebrações desta terça-feira no Santuário de Fátima.