A Rússia registou 28.782 casos de covid-19 nas últimas 24 horas, um novo máximo diário desde o início da pandemia, de acordo com os dados hoje divulgados pelas autoridades sanitárias do país.

Até à data, de acordo com estatísticas oficiais, mais de 2,4 milhões de pessoas na Rússia testaram positivo para o novo coronavírus e 42.684 morreram de covid-19, 508 das quais no último dia.

Moscovo, o principal foco de infeção do país, registou também um novo máximo diário, com 7.993 novos casos positivos e 74 mortes.

O novo registo de infeções na capital russa coincidiu com o início da campanha de vacinação da cidade contra a covid-19 com a preparação de fabrico nacional, Sputnik V, que é administrada em duas doses.

Foram criados setenta centros de vacinação para este fim, estando previsto que pessoas entre os 18 e 60 anos de grupos de risco, como professores, profissionais de saúde e assistentes sociais participem na primeira fase.

A vacinação é voluntária e realizada por marcação, através da Internet no portal de serviço da Câmara Municipal.

Segundo as autoridades, todo o procedimento demora aproximadamente uma hora, pois inclui um exame médico, a preparação da vacina, que deve ser descongelada na altura, e um período de observação de meia hora após a inoculação.

Em declarações à televisão, o presidente da Câmara de Moscovo, Sergei Sobianin, indicou que no total está prevista a vacinação de entre seis e sete milhões de moscovitas.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.507.480 mortos resultantes de mais de 65,2 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo o mais recente balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.