Cerca de cem pessoas foram detidas este domingo em Atenas, Grécia, por desobediência às medidas impostas pelo Governo para travar a pandemia de Covid-19, quando estavam a prestar homenagem a um adolescente morto pela polícia em 2008.

O executivo proibiu reuniões com mais de quatro pessoas entre as cinco da manhã e a meia noite deste domingo para mitigar o risco de contágio pelo vírus. Parte do transporte público foi suspensa e algumas estações de metro foram mesmo encerradas.

Apesar da proibição, os habitantes do bairro de Exárchia, no centro de Atenas, quiseram aproximar-se e depositar flores junto à placa em memória de Alexis Grigorópulos, que foi morto pela polícia em 2008, quando tinha 15 anos. No entanto, acabaram por ser intercetados pela polícia de choque e cerca de uma centena de pessoas foram encaminhadas para a esquadra.

A polícia bloqueou também a passagem de jornalistas, mas a comunicação social divulgou imagens de agentes a lançar granadas de atordoamento e a destruírem um ramo de flores.

A ação já foi criticada pela oposição política e por vários civis, que defenderam que a pandemia serve de pretexto para limitar os direitos civis.

A pandemia de Covid-19 provocou pelo menos 1.529.324 mortos resultantes de mais de 66,4 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP. De acordo com os dados recolhidos pela John Hopkins University, foram confirmados 114.568 casos e 2.902 mortes na Grécia, um país que conseguiu ultrapassar com relativa tranquilidade a primeira vaga da pandemia.