Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Eduardo Cabrita entregou esta sexta-feira, uma carta para a viúva de Ihor Homeniuk, Oksana Homeniuk, à embaixadora da Ucrânia, onde dá conhecimento da decisão do Governo de pagar uma indemnização à família do imigrante ucraniano, assassinado há nove meses nas instalações do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras no aeroporto de Lisboa.

O ministro da Administração Interna, que tem estado debaixo de fogo devido a este caso que levou à demissão da diretora geral do SEF, recebeu a embaixadora da Ucrânia em Portugal, Inna Ohnivets para a pôr a par da decisão tomada pelo Governo na quinta-feira, informa uma nota do ministério enviada às redações.

Na reunião com a diplomata do país de leste, foram também dadas a conhecer as diligências que estão em curso para apurar os factos ocorridos no dia 12 de março de 2020, “bem como das respetivas responsabilidades criminais e disciplinares”.

Segundo o mesmo comunicado, Eduardo Cabrita voltou a reiterar as condolências prestadas em abril não só à embaixada ucraniana, como também à família de Ihor, reafirmando o “total empenho das autoridades portuguesas na resolução do caso”.

Em jeito de resposta da parte ucraniana, a embaixadora Inna Ohnivets “transmitiu um convite do Governo da Ucrânia para o Ministro da Administração Interna visitar Kiev, a fim de se reunir com o seu homólogo para analisarem questões de interesse comum”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR