O Lar de Palaçoulo, tutelado pela Misericórdia de Miranda do Douro registou este sábado a morte de mais dois utentes elevando assim para cinco o número de óbitos naquela instituição, disse à Lusa o provedor da Instituição.

“Temos hoje a lamentar o quinto óbito no Lar de Palaçoulo. Trata-se um homem, com 92 anos. Também hoje há o registo da morte de uma a mulher de 98 anos”, indicou o recém-empossado provedor da Santa Casa da Misericórdia de Miranda do Douro, no distrito de Bragança, Manuel Rodrigo.

Na sexta-feira foi registado o terceiro óbito, tratando-se de uma outra mulher com 85 anos. No final da passada semana houve o registo das duas primeiras mortes, uma mulher de 75 anos e um homem com mais de 80, ambos com outras patologias associadas. Atualmente há 23 utentes que padecessem de covid-19 e que contam com a ajuda de brigadas da Segurança Social, dada a escassez de funcionários.

“As pessoas que testaram negativo entre utente e funcionários vão realizar novos testes na próxima semana”, indicou o provedor.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em 12 de janeiro, depois de realizada uma testagem a 58 pessoas, foram detetados 27 utentes infetados pelo SARS-CoV-2, a que se juntaram mais sete funcionários. Em 7 de janeiro, a ex-provedora, Jacinta Fernandes, anunciava que o Lar de Palaçoulo registava seis casos positivos – três utentes e três funcionários.

Segundo o último boletim epidemiológico emitido na sexta-feira pela Unidade Local de Saúde do Nordeste, a que Lusa teve acesso, o concelho de Miranda do Douro tem 168 casos ativos de covid-19.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.107.903 mortos resultantes de mais de 98,1 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP. Em Portugal, morreram 10.194 pessoas dos 624.469 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde. A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.