Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Milhares de funcionários da Amazon no Reino Unido receberam resultados falsos do teste ao novo coronavírus, após um erro que acabou por lhes fornecer informações imprecisas de teste e rastreio, avançou o The Guardian na terça-feira.

De acordo com o jornal britânico, 3.853 funcionários da retalhista online receberam um resultado incorreto. Isto porque as autoridades de saúde disseram primeiro que o teste tinha dado negativo e posteriormente notificaram os trabalhadores de que o resultado do teste era positivo, pedindo que se isolassem, o que veio a comprovar-se não ser verdade.

Ainda assim, a Amazon adiantou que todos aqueles que receberam uma notificação errada foram para casa, por precaução. Depois da situação ter sido averiguada, confirmou que a mensagem tinha sido um erro e que os trabalhadores não precisavam de se isolar.

O Departamento de Saúde e Assistência Social (DHSC) britânico garantiu ao The Guardian que o erro foi resolvido num dia, apesar dos serviços que rastreiam os infetados e os contactos de risco ainda estarem a lidar com as consequências da confusão.

Ainda não é claro o que esteve na origem deste problema. Mas o programa de teste e rastreio do Reino Unido tem vindo a ser criticado desde que foi lançado, tendo já alguns profissionais de saúde expressado preocupações sobre o uso de equipas inexperientes para desempenhar o papel de profissionais clinicamente treinados.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR