Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Tudo foi possível devido a um “cruzar de dois mundos”, como conta ao Observador João Pedro Rodrigues engenheiro físico e diretor de tecnologia da Loop Co. Esta startup está por detrás da plataforma digital que permitiu realizar, no final de abril, o primeiro espetáculo ao vivo pós-segundo confinamento nacional. E que contou com 400 espectadores presentes, todos com resultados negativo à Covid-19. E tudo graças a uma app. Antes da pandemia, a Loop Co. já trabalhava com a Cruz Vermelha Portuguesa e com a TicketLine, que abriram à empresa esta oportunidade de negócio “para voltarmos à normalidade”.

Desde o primeiro espetáculo piloto, que se realizou a 29 e 30 de abril, no Altice Forum Braga, a plataforma da Loop Co. foi utilizada para garantir a segurança em mais dois eventos, no passado fim de semana, um em Coimbra — onde é a sede da startup — e o outro em Lisboa. Este dois últimos receberam, ao todo, mil espectadores com um resultado negativo à Covid-19. Tudo com um processo que é “simples”, diz João Pedro Rodrigues. Além disso, graças aos primeiros eventos piloto, já foi melhorado.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.