Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

As autoridades italianas abriram esta quinta-feira a vacinação contra a Covid-19 para todas as pessoas com mais de 12 anos. A decisão vem no seguimento da avaliação feita pela Agência Europeia de Medicamentos (EMA), que na semana passada considerou que a vacina da Pfizer/BioNTech era “segura” na faixa etária dos 12 aos 15 anos, e da consequente aprovação pela Comissão Europeia.

A decisão de vacinar menores de idade já tinha sido tomada pelas autoridades italianas, mas o plano inicial previa que fossem inoculados apenas as pessoas com mais de 16 anos. Contudo, na terça-feira, o regulador italiano deu autorização para que a vacina contra a Covid-19 fosse administrada a partir dos 12 anos, e algumas regiões já estão a aceitar os agendamentos.

Covid-19. Bruxelas aprova vacina da Pfizer para adolescentes mas delega decisão nos países

As autoridades italianas têm dado prioridade à vacinação tendo em conta fatores como a idade ou a vulnerabilidade dos doentes, nomeadamente no que diz respeito às comorbilidades. Além disso, conforme nota a agência Ansa, a organização da vacinação em Itália funciona por regiões, e há locais onde ainda não existem vacinas disponíveis para inocular adolescentes, sendo dado prioridade a outras faixas etárias mais velhas.

Apesar de já ser possível vacinar pessoas com mais de 12 anos, caberá a cada região definir os critérios de inoculação, sendo que o general Francesco Figliuolo, responsável pela campanha de vacinação a nível nacional, já alertou que há regiões em que pessoas com 60 anos ainda não receberam a primeira dose da vacina.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Nesse sentido, apesar da autorização dada a nível nacional, apenas as regiões da Lombardia, Veneto, Campânia e Calábria começaram a aceitar reservas para vacinar crianças e adolescentes. À medida que haja mais vacinas e que as faixas etárias mais velhas sejam vacinadas, é expetável que outras regiões sigam o exemplo das quatro acima referidas.

É seguro e eficaz, mas será ético vacinar crianças contra a Covid-19?

Depois de processo lento numa fase inicial, que coincidiu com o fim do governo de Giuseppe Conte e a entrada em funções do executivo de Mario Draghi, Itália tem vindo a acelerar a sua campanha de vacinação. Segundo os números divulgados pelas autoridades italianas, já foram administradas 35 milhões de doses da vacina contra a Covid-19, sendo que 12,4 milhões de pessoas, o equivalente a 23% da população, já receberam as duas doses.

Quanto à vacinação de adolescentes, Itália tornou-se no primeiro país da União Europeia a administrar a vacina na faixa etária a partir dos 12 anos. De acordo com a Reuters, a Alemanha espera começar a vacinar jovens entre os 12 e os 16 anos a partir de 7 de junho, mesma data da Polónia. França vai começar desta faixa etáriar a partir de 15 de junho.