Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A Altice comprou uma participação de 12% da British Telecom (BT) por 2,55 mil milhões de euros. A empresa francesa, liderada por Patrick Drahi, que, além da Meo (Altice Portugal), detém a Sothebys e operações em Israel e nos EUA, será para aproximar o negócio da francófona com o da operadora britânica.

“A BT tem uma oportunidade significativa de atualizar e estender asua rede de banda larga totalmente de fibra para trazer benefícios substanciais a milhões de residências em todo o Reino Unido”, diz Drahi num comunicado. “Apoiamos totalmente a estratégia da administração para entregar esta oportunidade”, continua.

Entendemos que a expansão da rede de banda larga é um dos objetivos políticos mais importantes do governo do Reino Unido e uma parte central da sua agenda”, diz Drahi.

Já a BT refere que “acolhe todos os investidores que reconhecem o valor a longo prazo do nosso negócio e o importante papel que desempenha no Reino Unido”. De acordo com fontes da BBC que estarão por dentro deste negócio, esta compra da participação da operadora britânica é um “voto de confiança” no seu atual presidente executivo, Philip Jansen.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Membros do conselho de administração da Altice afirmam que este negócio “compra uma conversa com o conselho [da BT]” para que as empresas possam trabalhar juntas. A participação foi comprada pela Altice através da Morgan Stanley e pelo BNP Paribas.

De acordo com o que foi revelado pelo Expresso na última semana, esta compra da BT ocorre na mesma altura em que a Altice estará a tentar vender a operação em Portugal. Segundo o mesmo semanário, há já vários potenciais candidatos, como a francesa Orange e espanhola MásMóvil, que detém a Nowo. A Altice, contudo, não confirmou que está a avançar com esse negócio. “Trata-se de rumores e especulações que, como é do conhecimento público, têm sido recorrentes nos últimos 5 anos não só relativos à operação do Grupo Altice em Portugal, mas também relativamente a outros ativos internacionais do Grupo”, disse a empresa num comunicado sobre a notícia.