O programa “Governo Sombra” regressa na próxima sexta-feira, mas com um novo nome: daqui em diante, passará a chamar-se “Programa Cujo Nome Estamos Legalmente Impedidos de Dizer”. Deixará, também, de ser emitido pela TSF e tecnicamente será até um programa novo, embora o formato se mantenha igual. As informações foram partilhadas pelo moderador, o jornalista Carlos Vaz Marques, nas redes sociais.

A necessidade de alteração do nome deste programa de comentário político (com humor à mistura), que conta com Ricardo Araújo Pereira, Pedro Mexia e João Miguel Tavares no painel, já tinha sido comunicada há algumas horas por Carlos Vaz Marques, que no Twitter deu conta do que mudou desde que o “Governo Sombra” foi de férias. O último episódio do programa foi emitido há cerca de um mês, a 31 de julho.

No tweet que publicou esta segunda-feira relativo ao regresso do programa, que muda de nome mas mantém os moldes e protagonistas, Carlos Vaz Marques contava: “Vamos ser os quatro cromos de sempre, como desde 2008. Voltamos na próxima sexta-feira, na SIC Notícias e em podcast. Com uma pequeníssima alteração: estamos impedidos de continuar a usar a marca que criámos. Por ingenuidade e boa-fé nunca a registámos”.

Isto porque, segundo os dados diponíveis no Instituto Nacional de Propriedade Industrial, a TSF Rádio Notícias registou o nome “Governo Sombra”: o pedido de registo de marca foi submetido pela estação em setembro de 2016, tendo sido concedido em dezembro de 2017.

Em meados deste mês, Carlos Vaz Marques tinha partilhado na sua conta pessoal de Facebook um texto público (aberto a todos) em que afirmava ter sido vítima de “bullying profissional” por parte da TSF, expondo a sua versão sobre o conflito profissional que levou a que a sua relação contratual com o grupo que detém a estação — Global Media Group — tenha de “ser resolvida em tribunal”. A administração da empresa “rejeita todas as acusações”.

A patente do programa “Governo Sombra” continua, assim, a ser da TSF, mas o novo formato — “Programa Cujo Nome Estamos Legalmente Impedidos de Dizer” — deixa de passar na estação onde nasceu há 13 anos. Continuará a ser emitido às sextas-feiras na televisão (SIC Notícias) e ficará também disponível em podcast no Expresso, que faz parte do grupo (Impresa) que detém o canal por cabo.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR