A Igreja Evangélica Luterana na América elegeu o primeiro bispo abertamente transgénero em São Francisco, no sábado passado. O reverendo Megan Rohrer vai liderar um dos 65 sínodos da igreja, que tem perto de 200 congregações no norte da Califórnia e no norte do Nevada. Rohrer foi eleito em maio para servir durante seis anos como novo bispo do Sínodo Sierra Pacific.

“Eu assumo este cargo porque uma comunidade diversa de luteranos no norte da Califórnia e Nevada, em oração e em pensamento, votaram para fazer algo histórico”, disse Rohrer. “A minha instalação vai celebrar tudo o que é possível quando confiamos em Deus para nos guiar.”

Megan Rohrer é uma pessoa transgénero que utiliza o pronome neutro “they” (traduzido para português como “eles” ou “elas”). Megan conta à Associated Press ter sido expulso do grupo com o qual ia à igreja, depois de se ter assumido como lésbica na sua juventude.

“As pessoas que faziam parte das minhas aulas cantavam hinos quando eu passava, para expulsar os meus ‘demónios gay’. E eu cantava apenas a harmonia. Não sabia o que fazer.”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Rohrer serviu anteriormente na Igreja Luterana Grace, em São Francisco, e também foi capelão coordenador no departamento policial da cidade. As pessoas em situação de sem-abrigo e as comunidades LGBTQ+ da cidade também estiveram sob alçada de Rohrer. O novo bispo é doutorado pela escola de Religião de Berkeley, Califórnia.

Rohrer é casado, tem dois filhos, e foi um dos sete pastores LGBTQ+ aceites pela igreja em 2010, depois de esta ter permitido a integração de pastores homossexuais. A igreja em questão é uma das maiores denominações religiosas nos Estados Unidos da América, com 3,3 milhões de membros.