Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Uma tempestade está a atingir o sul de Itália desde dia 24, deixando partes da cidade siciliana de Catania completamente submersas. O  “raro furacão mediterrâneo”, como é descrito pelos meteorologistas, está causar chuvas intensas, trovoada e ventos fortes na região.

Como avança o jornal britânico BBC, o departamento italiano de Proteção Civil emitiu esta terça-feira o nível mais severo de alerta em determinadas partes da Sicília, assim como na adjacente Calabria, advertindo para o potencial risco de vida da população e para possíveis danos de propriedade.

A comunicação social italiana divulgou a morte de um homem de 53 anos, após o corpo ter sido encontrado debaixo de um carro, enquanto chuvas torrenciais avassalavam a localidade de Gravina.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Pelo menos outro homem, de 67 anos, cujo corpo foi encontrado na segunda-feira, morreu vítima desta tempestade. As equipas de salvamento estão ainda à procura da sua mulher, que assim como o seu marido, foi arrastada pelas águas das cheias na vila de Scordia.

Em Catania as escolhas fecharam e um apagão geral deixou casas e negócios sem qualquer eletricidade. Salvo Pogliese, prefeito da cidade, considera este furacão como um fenómeno “sem precedentes”.

“Peço que a população se mantenha em casa, exceto em casos de emergência, pois as estradas estão cobertas de água”, lê-se na página de Salvo, na rede social Facebook.

Segundo o site de meteorologia italiano iLMeteo, espera-se que o furacão aumente ainda de intensidade durante o resto da semana.