819kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Margarida II abdicou do trono. Frederik X é o novo Rei da Dinamarca

Frederik X foi proclamado Rei da Dinamarca, falou ao público e teve a seu lado a nova rainha e os quatro filhos. O público encheu as ruas de Copenhaga para saudar os novos reis. Veja as imagens.

24 fotos

Num momento íntimo e à porta fechada no interior do Palácio de Christiansborg, Margarida II assinou os papéis da sua abdicação com a primeira-ministra da Dinamarca, Mette Frederiksen, à sua esquerda e o príncipe herdeiro e o filho mais velho deste, do lado direito. Frederik X apareceu pela primeira vez como soberano à varanda do palácio para ser proclamado Rei da Dinamarca, da Gronelândiea e das Ilhas Faroé, pela chefe do governo. O novo monarca dirigiu depois umas palavras aos seu súbditos e chamou a nova rainha consorte, Mary, e os quatro filhos do casal para saudarem juntos o público.

Como mandava a agenda do dia, os ainda príncipes herdeiros, Frederik e Mary, foram os primeiros a aparecer em público num cortejo de quatro carros, onde seguiam também os quatro filhos. O público reagiu calorosamente com gritos e a agitar freneticamente as pequenas bandeiras dinamarquesas na mão.

Alguns minutos depois foi a vez de Margarida II percorrer as ruas de Copenhaga. A Rainha, com 83 anos, viajou sozinha na carruagem “Bodas de Ouro” acompanhada por uma longa escolta a cavalo e chegou ao Palácio de Christiansborg dois minutos antes das 14h00 (hora local, menos uma hora em Lisboa). Acabados os cortejos, o público que estava na rua deslocou-se para mais perto da fachada do palácio onde os novos reis apareceram à varanda.

A abdicação de Margarida II aconteceu no interior do Palácio de Christiansborg, em Copenhaga, onde está o parlamento dinamarquês, o gabinete da primeira-ministra e o Supremo Tribunal da Dinamarca. A Rainha assinou a declaração de abdicação na presença do conselho de estado depois, levantou-se da sua cadeira no topo da mesa e fez sinal ao filho para que a ocupasse, num gesto não só prático, mas também simbólico, uma vez que o lugar a partir daquele momento seria dele. Já rainha emérita, Margarida II retirou-se de seguida da sala e do palácio partindo, desta vez, de carro e voltou a ser notoriamente saudada pelas pessoas que estavam na rua.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Frederik X apareceu na varanda do palácio pela primeira vez não só para saudar o público, mas também para ser proclamado Rei pela primeira-ministra da Dinamarca, Mette Frederiksen. Depois o novo soberano dirigiu umas palavras aos seus súbditos. “A minha esperança é tornar-me um Rei unificador do amanhã. É uma missão que tenho abordado toda a minha vida. É uma missão que assumo com orgulho, respeito e alegria.” De seguida, o Rei chamou a rainha consorte. Frederik (55 anos) e Mary (51 anos), que celebrarão no próximo mês de maio 20 anos de casados, acenaram ao público sorridentes e juntaram-se depois os quatro filhos. O príncipe Christian tem 18 anos e é o novo príncipe herdeiro, a princesa Isabella, que tem 16 anos, e os gémeos, Vincent e Josephine, que completaram esta semana 13 anos.

Os novos reis deixaram o Palácio de Christianborg a caminho do Palácio de Frederik VIII em Amalienborg, a residência oficial da família real, na carruagem que tinha transportado a anterior soberana. A carruagem “Bodas de Ouro” foi construída ao longo de nove meses em 1891-92 pelo construtor F.C. Schulz, em Copenhaga, foi um presente de mestres artesãos para o aniversário dos 50 anos de casamento do Rei Christian IX e da Rainha Louise, em 26 de maio de 1892.

Para este dia histórico em que deixou de ser princesa para ser a nova rainha da Dinamarca, Mary escolher vestir branco. A mesma cor que também a rainha Letizia de Espanha e Mathilde da Bélgica usaram nas cerimónias em que se tornaram rainhas. Importa lembrar que o branco é também uma das cores da bandeira dinamarquesa. Mary usou um vestido do designer dinamarquês Soeren Le Schmidt, que reagiu rapidamente na sua conta de Instagram com uma fotografia dos novos reis e a mensagem: “Para lá de agradecido/Obrigada por me ter escolhido a mim. Rainha Mary da Dinamarca”. O vestido terá sido confecionado pela mesma a pessoa que fez o vestido de noiva com que Mary se casou com o príncipe Frederik em 2004, Birgit Hallstein, segundo revela a Vanity Fair. Não é a primeira vez que Mary recorre a este designer e foi dele a criação que Mary vestiu na coroação do Rei Carlos III, segundo escreve a Vogue. O vestido branco desta proclamação tinha mangas compridas, decote redondo com uma faixa de tecido que envolveu o pescoço e caía sobre o ombro num drapeado esvoaçante sobre as costas. A saia era ampla e de comprimento midi.

GettyImages-1925237364

Mary, rainha consorte da Dinamarca a acenar ao público depois da proclamação do marido, Frederik X

Quanto às joias, a nova rainha usou uma pregadeira no cinto, brincos e ainda adornos no cabelo. Mary terá escolhido um conjunto de joias em diamantes e rubis que data de 1804 e que, segundo escreve a revista Hola, foi uma encomenda para Desiree Clary Bernadotte usar na coroação de Napoleão em Paris, nesse mesmo ano. A dona das joias viria a ser rainha da Suécia e Noruega e as joias acabariam por chegar à casa real dinamarquesa. Estas joias serão, tradicionalmente, usadas pelas princesas herdeiras da Dinamarca. Mary usou também ao peito uma condecoração coma fotografia da sogra.

Pouco depois da proclamação do novo Rei o site da casa real dinamarquesa ficou “temporariamente indisponível” para serem feitas as “mudanças apropriadas” na sequência dos acontecimentos e os visitantes foram encaminhados para as redes sociais da instituição. Foi também através deste meio de divulgação que Carlos III e Camila enviaram, desde o Reino Unido, uma mensagem de felicitação aos novos reis. “Estou ansioso por trabalhar convosco para garantir que a duradoura ligação entre os nossos países e as nossas famílias se mantém forte. E para trabalhar convosco em assuntos que importam tanto aos nossos países e ao mundo mais alargado”, segundo cita a Sky News. Os reis de Espanha também felicitaram os novos monarcas através de um comunicado no qual se pode ler: “A nossa felicitação no início do vosso reinado, com o maior afeto pessoal e os melhores desejos o povo da Dinamarca”, cita a Hola. A mensagem foi acompanhada por uma fotografia da visita dos reis de Espanha à Dinamarca, no passado mês de novembro.

Um ambientalista rockeiro e uma australiana dada a causas sociais e ícone de estilo: quem são os novos reis da Dinamarca?

As estradas limpas e abertas para passar o cortejo real foram cercadas por uma moldura humana e de bandeiras dinamarquesas. Pelas 13h40 começaram a soar sinos. O dia esteve sempre cinzento e percebia-se pelos agasalhos de quem estava nas ruas que estaria bastante frio. Brilham as coroas em modo de celebração nas cabeças dos curiosos. As imagens na galeria no topo do artigo mostram a multidão que resistiu às baixas temperaturas para ir à rua saudar a antiga Rainha e os reis.

O jornal El País fazia referência na manhã deste domingo, antes da abdicação da Rainha, a uma sondagem da agência de notícias dinamarquesa Ritzau, segundo a qual 80% da população apoia os novos reis. Os resultados mostram também que 82% dos inquiridos acreditam que Frederik está preparado para reinar e 86% respondera, que Mary  será uma boa rainha consorte.

Também terá estado presente no Palácio de Christianborg o príncipe Joachim, o filho mais novo da Rainha Margarida e irmão novo Rei. Já tinha sido notícia ao longo dos últimos dias que o príncipe viajaria sozinho da sua residência atual, em Washington, para estar presente neste momento histórico em Copenhaga. A mulher, Marie, e os quatro filhos não o acompanharam. Em 2022 a Rainha decidiu tirar o título de príncipes aos quatro netos do lado do príncipe Joachim, o que causou um grande mal-estar entre a família e até levou Margarida a desculpar-se.

O príncipe Henrik, marido e pai de Frederik X, morreu a 13 de fevereiro de 2018 depois de anos com demência. Henrik e a Rainha Margarida estiveram casados quase 51 anos. Estiveram ambos em Portugal em 1984 para a única visita de estado da soberana dinamarquesa ao nosso país.

Margarida da Dinamarca em Portugal: o intenso roteiro da sua visita de Estado há quase 40 anos

Margarida II tem 83 anos e completa, precisamente este domingo, 52 anos no trono. A Rainha anunciou no seu habitual discurso de Ano Novo, ao final da tarde de 31 de dezembro, que iria abdicar do trono e passar as rédeas para o filho mais velho, o príncipe herdeiro Frederik. Margarida foi a primeira soberana a abdicar do trono da Dinamarca em quase 900 anos. Mas também já tinha quebrado as regras ao tornar-se a primeira mulher no trono do seu país em muito tempo. Já que em 1953, através de referendo, ficou decidido que uma mulher poderia ascender ao trono da Dinamarca, caso não tenha irmãos mais velhos ou mais novos. Margarida era a mais velha de três irmãs e quando se tornou rainha foi a primeira monarca mulher em séculos, desde Margarida I, que foi governante dos reinos da Escandinávia entre 1375 e 1412.

Margarida II da Dinamarca: a única rainha do mundo e o atual reinado mais longo

 
Assine o Observador a partir de 0,18€/ dia

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Apoio ao cliente | Já é assinante? Faça logout e inicie sessão na conta com a qual tem uma assinatura

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Vivemos tempos interessantes e importantes

Se 1% dos nossos leitores assinasse o Observador, conseguiríamos aumentar ainda mais o nosso investimento no escrutínio dos poderes públicos e na capacidade de explicarmos todas as crises – as nacionais e as internacionais. Hoje como nunca é essencial apoiar o jornalismo independente para estar bem informado. Torne-se assinante a partir de 0,18€/ dia.

Ver planos