Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Desde o passado dia 15 que todos os gregos com mais de 60 anos arriscam-se a pagar uma multa de 100 euros, caso não estejam vacinados contra a Covid-19. No Quebec vai ser aplicado um imposto de saúde extraordinário para não vacinados. Em Singapura, estas pessoas não vão poder voltar ao trabalho presencial, mesmo que comprovem que não têm Covid-19. Sem falar do tenista Novak Djokovic, que foi impedido que participar em dois torneios, na Austrália e em França, por não estar imunizado.

Estes são apenas alguns exemplos das muitas medidas adotadas nas últimas semanas para, nas palavras do Presidente francês, Emmanuel Macron, “irritar os não vacinados”, ou seja, “fazer pressão sobre os não vacinados, limitando, tanto quanto possível, o seu acesso a atividades da vida social”.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.