A imagem já foi partilhada no Facebook 4,3 mil vezes, parte do conteúdo começou a circular no Brasil em 2018 e foi desmentida pelo jornal brasileiro G1 logo em agosto, mas não foi suficiente para impedir que se continuasse a espalhar a falsa informação em torno de “beber água gelada”. Segundo a imagem, a água gelada pode causar ataques cardíacos, problemas no fígado e até cancro nos intestinos, mas nada é verdade. O falso aviso foi também partilhado por vários utilizadores portugueses.

O Observador contactou vários médicos que afirmaram que a informação “é tão descabida” que é quase difícil explicar ponto por ponto o que está errado.

O gastroenterologista Carlos Nobre Leitão explica que a informação “não tem qualquer fundamento” e que seria o mesmo que ter uma imagem a circular que dissesse “que quando há lua cheia caem os dentes às pessoas”.

Relativamente efeito que a água gelada pode ter no estômago, o médico explica que a temperatura do órgão é de 40º, fazendo com que a “água deixe imediatamente de estar gelada” e acrescentou que a “água é absorvida à temperatura do corpo”, independentemente da temperatura a que foi ingerida.

Também de acordo com a médica interna de Saúde Pública Margarida Gil “não há evidência que fundamente estas informações” de que beber água gelada pode ser prejudicial para o coração ou intestinos, nem que as pessoas que aguardam transplantes hepáticos foram “vítimas de água gelada”. Em declarações ao Observador a médica alterou ainda para o “perigo” que pode representar a replicação de imagens com conteúdo enganador como esta que veicula “informação não fundamentada e enganadora que pode tornar-se perigosa para quem lê”.

Conclusão

Não havendo qualquer evidência científica que a “água gelada” é causadora de ataques cardíacos ou problemas no estômago e nos intestinos — incluindo cancro — todo o conteúdo da imagem partilhada revela-se falso, tal como o jornal G1 já tinha alertado em agosto de 2018, e de acordo com os especialistas pode ser mesmo “perigosa” já que é mais uma a somar à muita desinformação que circula nas redes sociais com falsos conselhos médicos e indicações de curas para doenças.

Assim, segundo a classificação do Observador, este conteúdo é

Errado

No sistema de classificação do Facebook este conteúdo é:

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.