Uma publicação no Facebook, com data de 27 de outubro e amplamente partilhada desde então naquela rede social, alega que, em Portugal, existe um médico para 348 pacientes, numa publicação que refere ainda que o rácio enfermeiros-pacientes é de um para 133. A informação não corresponde à verdade, mas vamos por pontos.

Em primeiro lugar, não é possível saber quantos médicos existem por doente, até porque o número de pessoas que procura ajuda médica não é uma variável fixa. Bastava isso para considerar a afirmação falsa. Supondo que o autor da publicação tinha a intenção de aludir aos habitantes (e não aos pacientes), no que ao número de médicos diz respeito, o valor apontado não corresponde, mesmo assim, à realidade.

Segundo dados publicados no portal Pordata, utilizando números do Instituto Nacional de Estatística, o número de habitantes por médico em Portugal era de 185,6, o valor mais baixo de sempre, em 2019, último ano de que há dados disponíveis. Em 1960, ano do primeiro registo, havia um médico em Portugal por cada 1.253 habitantes, valor que desde então tem estado em acentuada queda, queda que neste indicador é positivo.

Quanto ao número de enfermeiros, o valor apontado pelo autor da publicação, apesar de estar mais perto da realidade, está, ainda assim, errado.  O número de portugueses para cada enfermeiro era, em 2019, de 135,8. Em 1990, primeiro ano em que há registo, era de 1.835,8.

A publicação foi partilhada centenas de vezes

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Conclusão:

Falso. Segundo os dados do portal Pordata e do Instituto Nacional de Estatística, o rácio entre médicos e habitantes era, em 2019, último ano de que há dados disponíveis, de um médico para 185,6 habitantes.

Segundo a classificação do Observador, este conteúdo é:

Errado

No sistema de classificação do Facebook, este conteúdo é:

FALSO: As principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge