Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Já se sabia que a PSP tinha ordens para tirar os nomes das pessoas que, por qualquer razão, manifestem na praça pública e, portanto, podem hipoteticamente pôr em causa a ordem. Até aí é normal. O que não se sabia e não é nada normal é que esses nomes não fiquem na polícia. Não se sabe por que carga de água nem há quanto tempo os nomes recolhidos pela PSP são transmitidos à Câmara Municipal de Lisboa e também não se sabe se a outras Câmaras onde haja manifestações públicas, assim como se ignora se os nome também são transmitidos ao governo…

Não se sabe se isto é de hoje ou de sempre. Pode ser até que venha do tempo do «fascismo! O facto é que, de repente, se soube que não só a polícia tirava os nomes de todos e quaisquer manifestantes mal comportados como os comunicava à Câmara de Lisboa. No Porto fazem a mesma coisa? Em nome de quê? Provavelmente a polícia também mandou os nomes dos adeptos do Sporting quando ganharam o campeonato, não? Assim, as câmaras ficam a saber quem são os arruaceiros cá do sítio. É sempre bom tê-los debaixo de olho!

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.