O grupo de deputadas portuguesas que respondeu positivamente “a um desafio do Bloco” e participou “na fotografia coletiva da campanha internacional #EleNão” (o #EleNão da questão é o candidato Jair Bolsonaro) é uma das manifestações em Portugal desse fenómeno internacional que se pode designar por Liga das Senhoras Extraordinárias.

A Liga das Senhoras Extraordinárias caracteriza-se por manter viva a táctica trotsquista da revolução permanente e por simultaneamente ter recuperado das histórias infantis a crença no poder paralisante das palavras mágicas. Só lhes falta a varinha! Ou talvez nem isso porque o que é um “vídeo viral” senão uma varinha mágica?

A Liga das Senhoras Extraordinárias diz “machista”, faz uma selfie, coloca tudo no instagram e espera que o vilão da história desapareça pelos ares. Todas as semanas as Senhoras Extraordinárias têm uma irritação. Há sempre algo que as enerva muito e as emociona ainda mais. O debate de ideias deu lugar ao fanico.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.