819kWh poupados
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Nuno Santos

Convidado

Artigos publicados

Propinas

Devolução das propinas é uma mentira bem contada

António Costa calha estar na posição de ter anunciado ao País um sistema que visa estimular os jovens a não emigrarem, mas que consiste em tirar do bolso dos pais o que Costa vai dar aos seus filhos.
CM Porto

O Porto do STOP ao Monte Pedral

Aparentemente o Centro Comercial STOP e o Quartel de Monte Pedral nada têm em comum. Mas ambos são vítimas da incapacidade executiva da Câmara do Porto e a prova do abandono de uma política cultural.
Democracia

Não é a maioria que degrada, é o poder prolongado

Dir-se-á que é em maioria absoluta que os maiores problemas e sinais de tomada do estado têm ocorrido, mas não será antes o efeito do prolongar de um mesmo PM e partido no poder por demasiado tempo?
JMJ 2023

O “retorno” de um altar é um ato de fé?

O critério para o investimento público num evento nunca pode ser o do “retorno”. Muito menos o “retorno” anunciado em estudos que contabilizam ganhos de imagem e tempos de exposição televisiva.
CM Porto

Carta aberta ao presidente da Câmara do Porto

Pode haver boas razões para que no pior dia para a cidade em 9 anos dos seus mandatos não tenha sido capaz, ao menos, de sacar o omnipresente telemóvel. Se existem, então informe-nos sobre onde estava
Inundações

A sacudir a água do... Porto

É num estado de permanente espanto e desresponsabilização que abrimos todos a boca perante as reportagens do “nunca tinha visto nada assim” sempre que São Pedro decide cumprir a sua “job description”.
Política

Alexandra Reis e o caso de um concurso municipal

Este é um país de leis e Constituição garantistas e protetoras dos direitos humanos, da igualdade e liberdade, mas onde quem manda condiciona, restringe, controla e passa cada vez mais ao lado da Lei.
CM Porto

O pornográfico filme do Cinema Batalha

Infelizmente a programação do Batalha é, afinal, mais uma extensão da mesma nomenclatura que há anos procura, com relativo sucesso, apoderar-se dos palcos do país e também dos da cidade do Porto.
Universidade do Porto

A Universidade que paga em vales do Corte Inglés

Em Portugal raramente a Academia é lugar de pensamento e inovação, sobretudo no domínio das humanidades. Das teses que leio e do que conheço, a qualificação para a prática é geralmente débil
Incêndios

Um País sem Estado

Sempre houve incêndios. O que nunca tinha havido era uma agenda política e mediática acerca dos incêndios. O que não havia era o mesmo oportunismo da notícia, do discurso político e da demagogia.
Política

Diretor ou ‘spin doctor’

A distorção da verdade, o uso dos números de forma enviesada e o aproveitamento da impreparação técnica dos jornalistas e dos portugueses em matéria sanitária foram o prato do dia durante dois anos.
CM Porto

E o Coliseu, já foi no Batalha?

O Coliseu corre hoje mais riscos do que em 1985 com a venda à IURD. Chega a ser incompreensível que a mesma Câmara que lutou por uma solução se mostre à cidade, agora, sem vontade política de o salvar
CM Porto

O Rivoli não “vai no Batalha”... já o Batalha!

Não duvido de que o Cinema Batalha deve ser preservado. O que não creio é que deva sê-lo a qualquer custo e só por um Município que se queixa dos fracos recursos dados pelo Estado na descentralização.
Refugiados

A “pata” do Estado na guerra como na pandemia

Eu, como um mero e modesto cidadão, como muitos milhares de outros portugueses, só quero ajudar, com o que tenho e não é muito. Não espero medalhas nem notícia. Mas exijo competência e decência.
Guerra na Ucrânia

Há guerras perdidas que vale a pena travar

Zelinsky combate cada batalha pondo o dedo no nariz a todos os que hipocritamente queriam a sua capitulação rápida como na Bielorrússia, para que a hipocrisia ocidental não se chegasse a notar.
TGV

Os apeadeiros do TGV no mapa cor de rosa

Espero que, em nome da pequena política de capelinhas, não se volte a esgotar mais uma oportunidade, como tantas vezes tem acontecido com pontes, aeroportos e tantos investimentos mal estruturados.
Legislativas 2022

Campanhas e sondagens. Uma história de manipulação

Se o país, em setembro, se espantou com o que se passou em Lisboa, eu não. Mas, às vezes, olhar para o Porto e para histórias e tentativas de manipulação da opinião pública também não faz mal nenhum.
Crise Política

Da estabilidade à ditadura

A estabilidade não é um valor em si. A democracia é. A falta de alternância no poder, mesmo que a apelidem de estabilidade, nem sequer é um valor democrático, nem forma de melhorar a vida das pessoas.
Vacinas

Vacinagate

Demitir quem, mesmo cometendo erros, apenas foi um elo intermédio de um sistema corrupto não resolverá nenhum problema nem chamará à justiça os verdadeiros culpados. Os truques são sempre os mesmos.
Coronavírus

Metade de uma manta

Sucede que não é Trump quem manda, nem Marcelo ou Costa. Quem manda é o vírus. É ele que dirá se podemos ou não sair à rua. A moral da história consumir-nos-á as consciências, enquanto o vírus quiser.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Vivemos tempos interessantes e importantes

Se 1% dos nossos leitores assinasse o Observador, conseguiríamos aumentar ainda mais o nosso investimento no escrutínio dos poderes públicos e na capacidade de explicarmos todas as crises – as nacionais e as internacionais. Hoje como nunca é essencial apoiar o jornalismo independente para estar bem informado. Torne-se assinante a partir de 0,18€/ dia.

Ver planos